sábado, 12 de julho de 2014

O 1º Número de Telefone de Emergência da História

Em novembro de 1935 aconteceu um incêndio em um imóvel de Street (Londres) em que faleceram 5 mulheres. Quando o incêndio ainda podia ter sido controlado, um vizinho tentou avisar e marcou o 0 para chamar a uma operadora da central telefônica, mas lamentavelmente, todas as linhas estavam ocupadas. Depois dessa catástrofe, o Escritório Geral de Correios começou a trabalhar em um projeto que se tornaria o primeiro número de emergências da história.


Foi proposto que quando fosse marcado esse número, uma luz vermelha acendesse e soasse uma sirene para alertar às operadoras e que lhe dessem prioridade. Também foi decidido que precisava ser um número de três dígitos iguais e como os telefones eram de disco de rodar, o 000, o 111 e o 999 foram as opções contempladas pensando em que o topo do disco serviria como referência tátil na escuridão, no meio da fumaça provocada por um incêndio ou em caso de deficiência visual.

O 1º número de emergência foi o 999
O 000 foi descartado porque ao marcar o primeiro zero, ligava para a operadora (não mudava nada); o 111 foi descartado porque em casos de vento forte os cabos chocando uns contra outros, podendo provocar uma chamada acidental; de modo que, Londres inaugurou o 999 como número de emergências em 30 de junho de 1937.

Em 1991 os países membros da União Europeia, entraram em um acordo para unificar um número de telefone para emergências para toda Europa: o 112. Na área americana, o seu equivalente é o 911.

Fonte Fonte