quarta-feira, 30 de julho de 2014

Westinghouse Atom Smasher: Um Acelerador de Partículas Abandonado

O abandono e o estado decadente de certos locais tem o seu charme, mas neste caso acho uma pena que não tenham aberto o lugar para visitação.

Este é um monstro que atendia pelo nome de Westinghouse Atom Smasher. A primeira parte do nome vem do construtor e proprietário. A segunda parte também não tem mistério, trata-se de um acelerador de partículas, primitivo, mas eficiente afinal de contas.

Esta máquina era um gerador de Van de Graaff de mais de cinco milhões de volts que fez parte das primeiras experiências sobre física nuclear a escala industrial, levadas a cabo nos Estados Unidos.

Ativado em 1937, permitia estudar reações nucleares por meio do bombardeio de um alvo com partículas de alta energia. Os milhões de volts gerados na máquina eram a fonte de energia ideal para acelerar partículas em um tubo de vácuo.

A grande máquina teve muito a ver com as experiências que durante os anos quarenta, levaram ao entendimento e ao controle das reações de fissão nuclear e portanto, pode se dizer que é uma parte fundamental dos primeiros tempos da energia nuclear.

Em toda a sua história, há algo ainda mais curioso: A companhia Westinghouse financiou e construiu o grande gerador em 1936, mas quando ainda não sabia que poderia ser utilizado para estudar a fissão.

Ou seja, que esta máquina que durante muitos anos até a sua desativação em 1958, foi empregada para pesquisar o que mais tarde se converteriam em reatores nucleares comerciais, não possuía uma utilidade definida quando foi construída.

A empresa tinha grandes conhecimentos a respeito dos geradores de Van de Graaff, mas criar uma tão grande era como dar um tiro no escuro.

Qual a utilidade? Aos poucos, surgiu um campo adequado: A fissão. Descoberta na Alemanha em 1938.
Este é um surpreendente caso de uma ferramenta criada adiante do seu tempo.


Hoje em dia, as instalações e a máquina se encontram abandonados na periferia de Pittsburgh, EUA.

Fonte