quinta-feira, 7 de agosto de 2014

A Devolução das Moedas Gregas

Cinco antigas moedas gregas foram devolvidas ao governo desse país no dia 4 de agosto de 2014, depois que um proeminente colecionador de Rhode Island fosse processado em Nova York, em um caso que sacudiu o mundo da numismática.

As moedas têm uma antiguidade de até 515 anos antes de Cristo e serão estudadas e exibidas no Museu Numismático de Atenas. O promotor de distrito Cyrus R. Vance Jr. e autoridades gregas fizeram o anúncio da repatriação.

"As moedas que nos serão devolvidas pelo promotor do distrito de Nova York são antigos e extraordinários artefatos que refletem a cultura grega, a história e a fortaleza duradoura", disse o embaixador Christos Panagopoulos. "Quando regressem a casa, ao lugar que pertencem, serão exibidas 'com a gratidão do povo grego para com o promotor' para que todos as admirem, tanto os gregos como os visitantes".

Entre as peças há moedas antigas de diferentes denominações e possuem imagens de deuses e outras figuras mitológicas.
As provas foram parte de um processo judicial contra o cirurgião e colecionador de moedas Arnold-Peter Weiss, quem em janeiro de 2012, foi detido em um leilão no hotel Waldorf-Astoria.

Autor de um livro sobre cirurgia para mãos e professor de ortopedia na universidade Brown, Weiss também havia sido colecionador durante 35 anos e diretor da Sociedade Americana de Numismática.
Posteriormente foi declarado culpado de possuir propriedade roubada.



Um dos encargos formulados contra ele, era pelas moedas que ele pensava serem do século IV antes de Cristo e haviam sido subtraídas de forma ilegal da Itália, mas que na verdade eram falsificações, assinalaram os promotores.

Weiss tratava de vender uma pelo valor aproximado de 350.000 dólares e outras duas por 1,2 milhões cada, assinalaram as autoridades.

Como parte de seu acordo com a promotoria, Weiss entregou ao redor de 20 moedas mais, entre as que se encontram as peças que foram devolvidas à Grécia.

Duas das moedas foram devolvidas ao seu prévio proprietário e o resto foram entregues a instituições culturais e acadêmicas, assinalou a promotoria.


Seu processo desatou uma série de questões sobre objetos vendidos e colecionados que países como Itália e Grécia consideram exemplos de saque de seu patrimônio.
Instituições como o Museu Metropolitano de Arte de Nova York e o museu J. Paul Getty de Los Angeles aceitaram devolver diversos objetos à Itália.

Fonte Fonte