quarta-feira, 20 de agosto de 2014

China Prende 1.000 Membros de Seita Religiosa "Eastern Lightning"


A polícia chinesa deteve a quase 1.000 membros suspeitos de fazerem parte de um grupo religioso proibido, informaram os meios de comunicação chineses.
As detenções surgiram depois que cinco membros do grupo, conhecido como a igreja do "deus todo poderoso" ou "Quannengshen", fossem acusados de matar brutalmente em maio, a uma mulher em um restaurante do McDonald's, enquanto supostamente tratavam da recrutar.

Um relatório da agência estatal de notícias Xinhua, disse que o grupo, ao qual Pequim considera uma seita apocalíptica perigosa, enganou pessoas, arrecadou dinheiro ilegalmente e "violou a lei sob o disfarce de religião".
"Uma série de atos por parte de seus membros prejudicaram as vidas e os bens das pessoas, e perturbaram a estabilidade social", disse o Xinhua.

Fotos publicadas pela polícia chinesa mostram ao fundador do grupo Zhao Weishan à direita, e sua esposa, quem é considerada pelo grupo como uma figura como se fosse a de Cristo.

O relatório agregou que os membros da seita, conhecida também como "Eastern Lightning", foram os responsáveis por "numerosos" suicídios e assassinatos, entre eles os de sua própria família.
Entre os detentos encontram-se quase 100 dos "membros principais".
Em maio, uma mulher de 37 anos de idade, foi assassinada a golpes no restaurante de fast-food da província oriental de Shandong. O caso desencadeou uma onda de rejeição contra o grupo, nos meios sociais da China.


"Ela era um demônio", disse um dos suspeitos, Zhang Lidong, em uma entrevista em televisão após ser preso. "Era um espírito maligno".
Cinco adultos foram acusados de assassinato, e seu julgamento começa na quinta-feira, disse o Xinhua.

O grupo está em uma lista dos 14 grupos religiosos proibidos, emitida pelo Ministério de Segurança Pública da China desde 1995.
De acordo com relatórios dos meios de comunicação chineses, o mesmo foi responsável por uma série de roubos, assaltos e sequestros.


Em 2012, centenas de membros foram detidos após que o grupo proclamasse publicamente que o fim do mundo era iminente.
Em uma declaração proporcionada a CNN em junho, os membros do grupo que são responsáveis pelo site em inglês, disseram que era "muito normal" que o Partido Comunista da China, culpasse o grupo pela morte ocorrida no McDonald's porque o Partido difamava e depois reprimia a quem não estivesse de acordo com o mesmo. "Sempre encontram alguma desculpa antecipadamente, inventam coisas e difamam", dizia o comunicado.


Fundada na década de 1990 na China central, o grupo acha que Jesus reencarnou como Yang Xiangbin, a esposa do fundador do grupo, Zhao Weishan.
O casal fugiu aos Estados Unidos em 2000, informou o Xinhua.


.
Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário