domingo, 17 de agosto de 2014

Curionautas Doodles #22

* Essa postagem trás os Doodles, que são as mini-postagens com curiosidades que publicamos no Facebook







Os asteroides podem ter anéis a seu ao redor?

Saturno é o alvo astronômico mais conhecido que tem anéis em nosso Sistema Solar, mas uma recente descoberta revelou que esta caraterística não é exclusiva dos planetas. 

Um grupo de astrônomos topou com um pequeno asteroide com anéis girando ao seu redor, provavelmente feitos a base de gelo e água. Trata-se de uma descoberta que aconteceu de forma casual enquanto uma rede de telescópios observava de forma rotineira a vários objetos menores dentro dos limites de nosso sistema planetário.

Durante esta análise do espaço, os pesquisadores encontraram o pequeno asteroide Chariklo, o qual evidenciou estar rodeado por dois anéis, algo que até o momento só se achava que era próprio dos gigantescos planetas gasosos do Sistema Solar (Júpiter, Saturno, Urano e Neptuno). 

Assim, esta descoberta sugere que os anéis poderiam estar presentes em outros corpos do universo, enquanto os cientistas afirmam que ainda desconhecem por que este objeto celeste conta com estes chamativos ''acompanhantes''. 

Neste caso o asteroide (de 250 quilômetros de diâmetro) tem dois densos e estreitos anéis de três e sete quilômetros de extensão, respetivamente, estando separados ambos por uma distância de uns 9 quilômetros.


Via: nature.com




Existiu realmente um Diluvio Universal?

Talvez não foi tal e como descreve o Gênese em seu capítulo 7, mas a comunidade científica acredita que sim, pôde ter acontecido uma grande inundação na Antiguidade que fez com que a história fosse transmitida de geração em geração em diversas civilizações humanas, tão dispares como a suméria, a egípcia, a judia, a indiana, a maia ou a muçulmana. 

Segundo a teoria defendida pelos geólogos marinhos William Ryan e Walter Pitman, o diluvio poderia ter acontecido há 7.500 anos na região onde hoje se encontra o Mar Negro, que naquele tempo, era um pequeno lago de água doce. 

Por algum motivo desconhecido, o Mar Mediterrâneo teria passado pelo Estreito de Bósforo, fazendo crescer o volume do Mar Negro a um ritmo de 15 e 30 centímetros diários.

Segundo esses cientistas, a prova disso é a existência de fósseis de moluscos de água doce e de água salgada contemporâneos no mesmo local, algo impossível de explicar se não graças a uma enorme inundação. 

"Esse temível acontecimento se converteu em uma história fundamental para advertir e aterrorizar às gerações mais jovens. Sua lembrança durou por mais de 1.000 anos e foi transmitida por tradição oral antes de ser inscrita em cerâmica" afirma esses dois geólogos.

Por outro lado, existem provas arqueológicas de que pelo ano 3.000 a.C. foram produzidas inundações na Mesopotâmia, embora não foram de grande magnitude. Além disso, outras teorias afirmam que outros fenômenos como terremotos ou inclusive o impacto de um meteoro também puderam gerar enormes tsunamis que teriam atingido violentamente a costa. 

Embora o que parece claro para a Ciência é que em nenhum caso o famoso diluvio foi tão ''universal'' como poderia parecer, mas sim, que na realidade, o mesmo teria acontecido em uma zona concreta do planeta.


Via: science.howstuffworks.com




Quanto dinheiro poupará a ''Lay's'' removendo cinco batatas fritas por saco?

Nunca antes cinco batatas fritas ou 16 gramas foram tão rentáveis. Acontece que a empresa ''PepsiCo'' decidiu fazer uma pequena grande mudança em sua política de comercialização das batatas ''Lay's''
Este grupo é proprietário da companhia ''Frito-Lay'', no qual comercializa este produto, em que seus diretores tomaram a decisão de reduzir o peso de cada um dos sacos de seu produto de 285 gramas a 269.

Isto representa umas cinco batatas a menos por saco, embora o diretor financeiro da companhia, Hugh Johnson, afirme que a intenção realmente é prescindir somente de duas batatas por embalagem. 
Segundo seus cálculos a empresa obterá maiores benefícios por saco, equivalentes a 21 centavos de dólar (uns 27 centavos de Real) e isto poderia ser traduzido em incrementos anuais de até 50 milhões de dólares (aprox. 113 milhões de Reais) sem a necessidade de mudar o preço. 

Trata-se de uma medida encaminhada a cumprir com as previsões de poupança que a ''PepsiCo'' fixou para 2019, as quais são cifradas em 1.000 milhões dólares (aprox. 2 milhões e 300 mil Reais).

Via: pepsico.com





Qual é a Monarquia mais antiga do mundo em atividade?

Trata-se da japonesa. Sua origem data de 11 de fevereiro do ano 660 a.C., quando foi criado o império Nippon pelo Imperador Jinmu. Desde então, passaram 125 imperadores pelo trono japonês, todos eles homens. 

É preciso levar em conta que durante vinte e seis séculos os japoneses consideravam o seu Imperador como um deus na Terra, embora a derrota do país na Segunda Guerra Mundial, obrigou à rendição pública por parte do Imperador Hirohito. 

A partir de então os japoneses humanizaram a visão de seus monarcas, o que por sua vez , provocou que surja no país um forte debate sobre se é necessário uma mudança na Lei de Sucessão ao Trono, para permitir que mulheres também possam herdá-lo.


Via: nippon.com




É verdade que as moscas pensam?

Aparentam ser animais muito simples, mas é possível que durante séculos o ser humano tenha subestimado a inteligência das moscas. Um recente estudo elaborado por um grupo de cientistas da Universidade de Oxford (Reino Unido) descobriu que esses pequenos insetos são capazes de reunir e analisar a informação antes de tomar uma decisão relevante. 
Esta descoberta é muito importante, pois supõe a primeira evidência clara de que até os cérebros mais simples são capazes de realizar complexos processos cognitivos.

A demonstração foi obtida graças a um experimento com moscas treinadas. Os insetos foram colocados em caixas cujos lados tinham dutos de ar, um com cheiros fortes e outro com ar menos concentrado. Uma vez que os cheiros estavam pelo ambiente e chegavam às moscas, os insetos decidiam qual deles era o menos perigoso para elas, em concreto o mais fraco.

Assim, quando os cheiros eram mais fáceis de distinguir, tomavam decisões mais rápidas e contundentes, enquanto que se eram semelhantes, dedicavam mais tempo a ''pensar'' na sua decisão. Isto, segundo o professor Miesenböck, vem a demonstrar que "os mesmos modelos matemáticos que descrevem a tomada de decisões humanas também podem ser aplicados ao comportamento das moscas", assim que esses seres não atuam de forma mecânica e instintiva como se pensava até agora.

Via: telegraph.co.uk




É verdade que existe uma peça de teatro que provoca desmaios?

O teatro permite dar vida às histórias com atores de carne e osso em tempo real, e há ocasiões em que algumas obras podem provocar experiências mais intensas no espetador que as do próprio cinema. 
E nem sempre as mesmas são positivas, já que a representação teatral que foi desenvolvida  nas últimas semanas no teatro ''The Globe'' de Londres encheu páginas da imprensa por sua extrema crueza e violência.

E tudo porque a citada montagem provocou mais de cem desmaios desde a sua estreia. Sob esta descrição, poderia se pensar que a obra plasmada é de um escritor desconhecido, mas a verdade é que o texto é "Titus Andronicus", do dramaturgo britânico William Shakespeare.

Antes do início das representações, o teatro já havia avisado aos espetadores que eles iriam ver algo "grotescamente violento", mas ninguém esperar o resultado final. "Uma confissão: Eu desmaiei. Os membros do público caem como moscas" afirma a crítica Holly Williams, do diário britânico ''The Independent''. 

Acontece que ao longo da função, se vêem as consequências da amputação das mãos e língua de um das personagens ou inclusive em um momento em que o protagonista faz um bolo com os cadáveres de seus inimigos. 

Ao todo são representadas 14 mortes, um estupro e cenas de canibalismo e mutilações, No que sua crueza pôs a prova o humor de todos os assistentes e provocou que os atores acabassem por se acostumarem aos desmaios entre o público.

"Por duas vezes, eu tive que parar brevemente. Somos seres humanos. Mas acabamos por nos acostumar. Não é que o ignorássemos, mas simplesmente seguíamos" afirma o ator Obi Abili, que interpretou a personagem de Aaron. Embora tudo isso, longe de preocupar a sua diretora, Lucy Bailey, ela ficou cheia de orgulho: "Eu me sentiria decepcionada se apenas 3 pessoas desmaiassem em uma função. Me parece fantástico que as pessoa possam se ligar tanto com os personagens" afirmou. 


Via: bbc.co.uk

Nenhum comentário:

Postar um comentário