segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Curionautas Doodles #25

* Essa postagem trás os Doodles, que são as mini-postagens com curiosidades que publicamos no Facebook




Quantas flores são necessárias para produzir um quilo de mel?

Cada abelha operária percorre durante seus escassos 50 dias de vida, aproximadamente 40 quilômetros, nos cerca de duzentos mil voos que leva à cabo, a uma velocidade média de 22 km/h. Em suas constantes expedições visita umas 7.200 flores para fabricar 5 gramas de mel.

Isso significa que, para reunir um quilo deste delicioso e nutritivo néctar, é preciso 1 milhão 440 mil flores e a colaboração de 200 operárias. Não é uma tarefa excessiva, se levarmos em conta que em uma colmeia costumam viver entre 30.000 e 60.000 indivíduos, além de que a rainha pode chegar a pôr 3.000 ovos em um só dia.




É possível inibir o instinto predador?

Os predadores NUNCA renunciam por completo a sua natureza. Inclusive os cães, domesticados há mais de 30.000 anos, seguem conservando seu instinto como caçadores. De fato, este impulso comum a todos os carnívoros está latente em muitas das raças caninas atuais.

Quando os cães mordem com satisfação panos e brinquedos, ou correm atrás de um carro, estamos contemplando sua herança predadora.




Continua sendo radiativo o atol de Bikini?

Este conjunto de 36 ilhotas localizadas o Oceano Pacífico se fez famoso depois de ser escolhido pelo Exército dos EUA, como alvo experimental de 23 bombas atômicas "entre elas, a primeira de hidrogênio", de 1946 a 1958. Dez anos após a última prova nuclear, os habitantes nativos regressaram ao seu lar, mas os níveis de radiatividade detectados nos mariscos, nas frutas ou na água potável, aconselharam uma nova evacuação.

No final dos anos 90, um relatório do Organismo Internacional de Energia Atômica estabeleceu que ainda não oferecia garantias o consumo habitual dos cultivos nativos, devido à acumulação de césio no solo do atol.

Em 2010, a UNESCO incorporou este impasse do Pacífico à lista de Patrimônio da Humanidade, mas seus habitantes não poderão o recuperá-lo até, pelo menos, 30 anos.




Onde surgiu o exército de Shaka Zulú?

No final do século XVIII, surgiu na província sul-africana de Natal, um exército que atemorizou os colonizadores ingleses. Seu líder mais famoso, chamado Shaka Zulú, conseguiria, já no século XIX, fazer de sua etnia a representante de todo um grande império, que foi denominado Nação Zulú.

Embora era filho de um chefe, nasceu fora das estritas regras sociais de sua tribo, o que o fez viver marginalizado durante sua infância e juventude. Apesar disso, seu físico imponente, suas habilidades como guerreiro e organizador lhe permitiriam, já liderando o seu povo, resistir às tropas inglesas durante anos.

Sua vitória na batalha de Isandhlwana, em 22 de janeiro de 1879, teve como consequência a primeira derrota britânica na África. Seu "reinado" durou apenas doze anos, mas forjou uma identidade que ainda hoje se mantêm em pequenos países como Basutolândia e o Protetorado da Bechuanalândia.

Em seus últimos anos, as pressões o deixaram paranoico e ordenou muitas e injustas execuções, até que foi apunhalado por seus próprios meio-irmãos.




Quem inventou o copiar e colar?

Para a maioria, o uso no teclado do computador da combinação de teclas Control+C (copiar) e Control+V (colar), bem como Control+X (cortar) converteu-se em uma ação muito cotidiana, já que é uma ferramenta fundamental para reestruturar uma porção de texto com um comando muito simples, bem como imagens, vídeos... São os atalhos de teclado mais básicos que existem.

Seu inventor é Larry Tesler, um expert em ciências da computação que na década de 70, enquanto trabalhava no departamento de informática da Xerox PARC, um centro de inovação tecnológica com sede em Palo Alto, Califórnia (EUA), criou um processo pelo qual podia capturar texto e enviar a uma memória interna do computador. Assim nasceria o copy&paste como sistema para melhorar a produtividade em todos os âmbitos relacionados com o computador.

As primeiras máquinas que integraram a possibilidade do comando copiar e colar foram a Apple Lisa (1981) e Macintosh (1984).




Como eram escolhidos os nomes dos romanos?

Considerando a onomástica latina e o modo em que se formavam os nomes, era certamente muito diferente à nossa. Primeiro ia o Praenomen (o atual nome próprio), o Nomen (que indicava a gens, o nome do clã de procedência) e um Cognomen (que especificava a família dentro da gens). Os Praenomen não eram muitos e eram abreviados com letras ou iniciais: por exemplo L para Lucius ou Sex para Sextus.

Os mais habituais nomes eram Cneo, Lucio, Cayo y Marco; e em mulheres Cornelia e Livia. Os Nomen eram diversos: Cornelius, Tullius, Domitius, Claudius...

Os Cognomen eram às vezes descritivos, como no caso de Nero, cuja família paterna era Ahenobarbus, que significa "com a barba de bronze" (ou seja, ruiva). Podiam alterar ao longo da vida e acrescentar sem limites.

A parte, estavam os Agnomen, que tinham caráter honorífico e se aplicavam por exemplo a um militar vitorioso, como Públio Cornélio Cipião o Africano.


Nenhum comentário:

Postar um comentário