quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Curionautas Doodles #35

* Essa postagem trás os Doodles, que são as mini-postagens com curiosidades que publicamos no Facebook




O que era o Oráculo de Delfos?

O cinema se encarregou de popularizar o ''Oráculo de Delfos'', um local real que os antigos gregos consideravam como um de seus centros religiosos mais importantes. O mesmo estava situado em um santuário de Delfos, ao que podia ser visitado depois de passar por um estreito desfiladeiro. Segundo sua mitologia, este local foi construído depois que Apolo, com aparência de golfinho, pedisse à tripulação de um barco de cretenses que o seguissem e fundassem este santuário depois de vencer nesse mesmo local à deusa Gaia e ao seu dragão.

Com o tempo, esse local se converteu em uma zona de peregrinação para as pessoas que desejavam conhecer o futuro. Normalmente o oráculo ficava a cargo de uma idosa, a Pitonisa ou Sibila, e um homem, o Profeta. Para fazer esta consulta ao deus Apolo, que eram celebrados só nos dias 7 de cada mês, antes era preciso oferecer uma torta feita com mel e sacrificar em sua honra a uma cabra. Se o animal tremia durante a oferenda era sintoma de que o deus atenderia a responder às dúvidas.

Posteriormente a sacerdotisa mastigava folhas de loureiro, polvilhava farinha e bebia goles da água que vertia da fonte sagrada enquanto entrava em transe e falava em intermédio de Apolo. Com a ajuda do Profeta, conseguia dar uma mensagem ao visitante em resposta a suas dúvidas ou questões.

No entanto, como é lógico com o tempo, toda esta cerimônia outorgou grande poder político aos sacerdotes encarregados do Oráculo, sempre que seus desígnios influenciavam nas decisões de generais, políticos e comerciantes da época. Por isso o Oráculo foi, até a sua destruição no ano 390 d.C, um importante local na vida social e política da Antiga Grécia.


Via: en.wikipedia.org




Qual foi o maior banquete da história?

Entre outras coisas, o Império Romano é lembrado pelas copiosas comilanças e banquetes que eram dados por alguns de seus imperadores. Desta forma, acredita-se que o maior banquete de toda a história foi dado por Julio César (100 a.C.- 44 a.C) para celebrar suas vitórias militares no Oriente. Estima-se que durante os dias que duraram os festejos até 260.000 pessoas desfrutaram dos alimentos colocados em 22.000 mesas.  Enquanto, o imperador Calígula foi o encarregado de organizar o banquete mais ostentoso e caro, no qual contou com mais de 2 toneladas de ouro.

E centrando em uma época mais recente, no século XVII, o Príncipe de Condé organizou um grande banquete em seu castelo de Chantilly para homenagear ao rei francês Luis XIV. O mesmo foi preparado pelo cozinheiro mais famoso da época, François Vatel, quem desenhou os cinco serviços que foram servidos no dia 25 de abril de 1671. Os atos foram assistidos por mais de 2.000 convidados, o que gerou uma grande ansiedade no cozinheiro, quem optou por se suicidar depois de comprovar que o peixe que havia previsto cozinhar, não havia chegado a tempo.


Via: genuirestaurante.com




Qual foi a primeira corrida automobilística da história e quem foi realmente o vencedor?

Em dia do ano de 1895, foi celebrada a primeira corrida automobilística da história na França. A mesma consistiu em um percurso de 1.200 quilômetros entre as cidades de Paris e Bordeaux. No ano anterior, já haviam organizado uma prova para automóveis nas cidades de Paris e Rouen com uma distância de 127 quilômetros, enquanto que não foi considerada uma corrida, pois o objetivo de seus veículos era realizar uma caravana para fomentar o transporte nesse tipo de veículos.

Na corrida, se inscreveram 97 participantes, embora em 11 de junho de 1895, unicamente se apresentaram 22 competidores. A maioria dos veículos eram de origem francesa, a exceção de duas da marca Benz, um Vicke belga e uma moto alemã. A corrida contou com diferentes pontos de controle ao longo de seu percurso e os participantes dispuseram de estações de reabastecimento.

A velocidade média que alcançaram os pilotos na citada corrida, foi de 20 quilômetros por hora. Assim, a competição durou três dias, resultando ganhador Paul Koechlin quem na verdade chegou em terceiro lugar, pois Georges Lemaître (Segundo lugar) e Emile Levassor (primeiro lugar) utilizaram veículos com 2 assentos, contra o regulamento e foram desclassificados. Paul Koechlin usou um Peugeot que empregou 59 horas e 48 minutos para realizar os 1.200 quilômetros que constava o trajeto.


Via: en.wikipedia.org




Por que a pomba é utilizada como símbolo da paz?

A pomba teve desde tempos antigos, um profundo simbolismo religioso, já que a Bíblia católica conta que Noé a escolheu para que voasse em busca de terra firme uma vez que o diluvio universal já havia sido produzido.

Desta forma, o animal regressou até a arca, levando a Noé um ramo de oliveira no bico como demonstração de que a terra voltava a ser habitável. Depois de ver a mensagem que trazia a ave, o patriarca disse "Deus volta a estar em paz com os homens", assim que desde então a pomba sempre foi associada com a paz e a prosperidade.

De fato, em 1949 o pintor Pablo Picasso desenhou uma pomba com um ramo de oliveira no bico como símbolo do Movimento da Paz que naquela época promovia o Partido Comunista francês.


Via: bbc.co.uk

Nenhum comentário:

Postar um comentário