quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Gander, o Cão que se Sacrificou para Salvar os Soldados Feridos do Canadá

Os conflitos bélicos ao longo da história tiveram muitos protagonistas que deram suas vidas para salvar as de suas companheiros. O protagonista desta história, ao que seus companheiros do 1º Batalhão de Royal Rifles do Canadá não duvidariam em qualificá-lo como "o melhor amigo do homem", chamava-se Gander e era um cão da raça Terra-nova.

Pal, que assim era chamado esse cão antes de adquirir seu nome de guerra, era o animal de estimação de uma família de Gander (Canadá) que, como todo Terra-nova, foi crescendo e crescendo até se converter em um belo espécime de quase 70 kg. Certo dia, o cão arranhou uma criança enquanto brincava, e seus donos logo trataram de lhe conseguir um outro lar...

Naquele tempo, o aeroporto de Gander era a base do regimento do Royal Rifles e esses decidiram adaptá-lo como mascote e batizá-lo com o nome de Gander. Aqueles dias de instrução para os soldados e de brincadeiras para Gander, terminaram em outubro de 1941, quando o regimento e sua mascote foram enviados à ilha de Hong Kong para protegê-la dos ataques japoneses.

A tranquilidade na ilha durou pouco. O desembarque japonês foi acompanhado de um intenso bombardeio e o confronto nas praias se converteu em uma luta corpo a corpo, onde Gander se convertia em um soldado mais. No dia 19 de dezembro de 1941, o 1º batalhão do Royal Rifles ficou isolado e os canadenses mal podiam responder à brutal ofensiva japonesa. Uma granada caiu junto a um grupo de feridos e Gander a pegou com a boca e saiu correndo...O sacrifício de Gander salvou os seus companheiros.

Em apenas 18 dias a ilha caiu, mas a história de Gander começou a circular entre os soldados canadenses presos nos campos de prisioneiros... Gander se converteu em uma lenda.
Em 27 de outubro de 2000, Gander recebeu à título póstumo, a Medalha Dickin:
"Por salvar as vidas de soldados canadenses durante a batalha Lye Mun na ilha de Hong Kong em dezembro de 1941. Em três ocasiões documentadas 'Gander', a mascote do Royal Rifles do Canadá, enfrentou-se ao inimigo [...] Em um último ato de valentia, morreu ao pegar uma granada. Sem a intervenção de 'Gander', teriam sido perdidas muitas vidas."
Fonte Fonte Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário