quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Imagens Curiosas do Arquivo de Espionagem da Stasi


O artista berlinense Simon Menner recebeu autorização para pesquisar os arquivos da Stasi, o serviço secreto da antiga Alemanha Oriental. Seu livro "Top Secret" apresenta uma seleção de imagens curiosas e estranhas.

Achados do fundo do baú

Há 24 anos, a Alemanha Oriental deixava de existir praticamente de um dia para o outro – e com ela a Stasi, um dos serviços secretos mais temidos do mundo. O artista berlinense Simon Menner passou dois anos pesquisando os arquivos da Stasi. O resultado é o livro de fotos "Top Secret", uma visão única sobre o trabalho de espionagem da organização. Estas imagens são de um seminário sobre disfarces.

Na mira dos espiões

Esta imagem é de um filme que mostra uma pessoa sendo observada ao longo de vários dias. Em cada um dos frames, o "alvo" foi marcado com uma seta. Com mais de 90 mil funcionários oficiais e outros 100 mil informantes não oficiais (os chamados IMs), a Stasi tinha uma das maiores redes de espiões de sua época.

Treinamento

Também a espionagem é um ofício que pode ser aprendido: imagens feitas para "fins de treinamento", como esta, são frequentemente encontradas nos arquivos da Stasi. Elas eram feitas para ressaltar aos espiões no que eles deveriam prestar mais atenção. Muito importante era observar quando, onde e com quem um suspeito se encontrava.

Leituras suspeitas

Ou o que eles liam. Para esta foto, a Stasi provavelmente usou um livro de sua própria biblioteca: "O ABC do dinheiro, do poder e da riqueza na Alemanha Ocidental", de Bernd Engelmann. O escritor do lado ocidental era – como se soube após a Queda do Muro – um dos IMs da Stasi

Correspondências suspeitas

A correspondência trocada entre pessoas espionadas recebia – é claro – um nível particularmente elevado de atenção. A propósito: todas as pessoas identificáveis que aparecem no livro de Simon Menners eram funcionárias da Stasi. As demais tiveram os rostos "borrados" para impedir a identificação.

Da teoria à prática

Esta imagem de uma espionagem real mostra uma caixa de correio monitorada pela Stasi. Cada pessoa que se aproximava da caixa era fotografada. Em seguida, outras imagens mostram como funcionários, em trajes civis, esvaziam a caixa. Mais tarde, cada uma das cartas coletadas era atribuída a uma das pessoas fotografadas.

"A vida dos outros"

Esta foto Polaroid foi tirada durante uma busca sigilosa num apartamento. A imagem foi feita para servir de referência – assim, tudo poderia ser deixado exatamente como havia sido encontrado. "Estava em dúvida se deveria usar imagens como esta no livro", admite Simon Menner. "Mas cheguei a um acordo com o arquivo e acho importante mostrar também estas fotos."

Brinquedo ou sinal de fuga?

Este modelo de avião foi fotografado durante uma busca secreta a uma residência, ao lado de revistas, cigarros e garrafas de uísque ocidentais. Será que havia a suspeita de que o dono planejasse uma "travessia ilegal da fronteira"? Estas eram duramente punidas.

Presentes confiscados

Cerca de 25 milhões de pacotes de presentes, contendo desde alimentos até roupas, eram enviados todos os anos da Alemanha Ocidental para a Oriental. Cada remessa era aberta por um funcionário da Stasi. Muitas vezes, o conteúdo era documentado fotograficamente ou parcialmente confiscado.

Festa à fantasia de espiões

Estas imagens foram feitas numa festa de aniversário de um funcionário da Stasi e estão entre as mais bizarras do livro de Simon Menner. Os espiões compareceram à festa fantasiados de suas "vítimas": artistas, representantes da Igreja ou esportistas.


Ordenação

O senso de humor bem particular da Stasi pode ser visto nesta foto, na qual um espião é "ordenado". Como a "ordem" a ele concedida tem a forma de um telefone, pode-se supor que ele foi especialmente bem-sucedido em escutas telefônicas. Até fotos como esta paravam nos arquivos da organização. A sede de informação da Stasi era tamanha que até cheiros de "inimigos do Estado" eram arquivados.


Cisne morto

Algumas imagens dos arquivos da Stasi permanecem sendo um mistério. Esta foto de um cisne morto foi encontrada no gabinete do chefe da Stasi, Erich Mielke, depois da queda do Muro. "Algumas fotos temos que apenas mostrar, com todo seu absurdo e estranheza", diz Simon Menner.

Nenhum comentário:

Postar um comentário