quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Os Casos Mais Insólitos de Pessoas que Lucraram com a Lei de Forma Legal

Algumas pessoas podem agarrar uma oportunidade tão bem, que com um pouco de criatividade podem se aproveitar das leis para ganhar fortunas sem fazer ninguém sofrer.

Pagar com a mesma moeda
Você sempre lê os contratos com atenção? O russo Dmitri Agarkov passou a perna a um banco russo, mudando o contrato de crédito que lhe haviam concedido e escrevendo que a comissão do banco pelo crédito era de 0%. O banco assinou o contrato, porque nenhum de seus funcionário o leu. 
Após dois anos o banco tentou arrecadar o dinheiro que lhe correspondia com uma ordem judicial, mas fracassou. Em resposta Agarkov exigiu que o banco lhe pagasse 24 milhões de rublos (1 milhão e 480 mil Reais), de acordo com o mesmo contrato que indicava que a cada tentativa de mudar seu texto, custaria ao banco 3 milhões. Após julgamentos duradouros, ambas partes aceitaram fazer um acerto de contas.

1 ano de jantares de luxo grátis

Um chinês conseguiu usar uma passagem de primeira classe da linha aérea Chinesa Eastern para jantar grátis na sala VIP durante quase um ano. Depois de tomar o jantar de luxo no aeroporto de Xi'An, que são oferecidos aos passageiros de primeira classe, o engenhoso chinês mudava a data de embarque (que se faz sem pagar nada) e ia embora para para regressar no dia seguinte. A história, publicada no jornal malásio Kwong Wah Yit Poh, foi descoberta quando a linha aérea percebeu que o bilhete havia sido cancelado mais de 300 vezes. Ao confrontar à linha aérea, o homem devolveu o bilhete e recuperou 100% do seu valor.

Delegação de poderes

Um programador norte-americano que trabalhava para uma empresa nos EUA. contratou uma empresa em Shenyáng, China, para que fizesse o seu próprio trabalho. O homem pagava à companhia chinesa uma quinta parte do seu salário e era considerado o melhor programador de seu departamento. Assim viveu alguns anos, até que o seu truque foi descoberto e o despediram.

Fumar ou não fumar
Em 2007 no estado de Minnesota (EUA) foi adotada a lei que proíbe fumar em locais públicos. Os donos dos bares, cujos rendimentos caíram devido a promulgação, encontraram uma falha na lei: era permitido fumar aos atores que desempenhassem um papel no lugar onde interpretassem. Como a lei não estipulava se devia ser uma atuação profissional ou de aficionados, os bares começaram a "oferecer espetáculos" onde os funcionários e os clientes eram "atores" que fumavam "interpretando seus papéis.

Voos grátis por pudins
Desde o ano 2000 o norte-americano David Phillips e sua família voam grátis de avião. Em 1999 Phillips, que dá aulas na Universidade da Califórnia, se aproveitou de uma campanha promocional que convidava a comprar o pudim produzido pela Healthy Choice em troca de pontos no programa de milhagem da American Airlines. Phillips investiu 3.000 dólares para comprar uma quantidade monstruosa de pudins, pelo qual recebeu 1.253.000 pontos. Além disso, doou uma grande parte dos pudins ao Exército de Salvação, fazendo assim também uma boa obra para a sociedade.

Voos às custas dos EUA
Os caçadores de pontos em programas de milhagem usam todos os recursos possíveis para alcançar seu objetivo. Em meados da década passada, em uma tentativa de promover o uso das moedas de 1 dólar em vez de cédulas,os EUA ofereceram a possibilidade de comprar as moedas na Internet, pagando com cartões de crédito e com frete grátis. Jane Liaw Liaw e muitos outros cidadãos aproveitaram esta oportunidade para comprar moedas, recebê-las grátis e pagar com elas o crédito, ficando com os pontos que depois usaram para obter passagens aéreas grátis.

Fundar um país para não pagar impostos
Em 1969 o estado da Austrália Ocidental introduziu uma cota de produção de trigo. Leonard Casley, que conseguiu colher bem mais trigo do que o permitido, tentou negociar a diferença da cota com o governo mas fracassou. Então ele e seus vizinhos, furiosos com a medida considerada draconiana, declararam independência da Austrália e se auto-proclamaram Província de Hutt River e dois anos mais tarde, foi alterado para Principado de Hutt River, e Casley tomou o título de príncipe Leonard I. O principado, que embora seja independente da Austrália, se mantém leal à Rainha Elizabeth II, possui uma área de uns 75 quilômetros quadrados e apenas 60 habitantes.

Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário