quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Taxidermista Desencadeia Controvérsia por Comer Carne de animais que Empalha


A taxidermista britânica Elle Kaye de 22 anos tem um hábito alimentar bastante incomum, mesmo para os padrões da taxidermia - ela consome a carne dos espécimes que ela usa em sua arte. Kaye utiliza principalmente animais atropelados ou que morreram de causas naturais, e ela tenta comer o máximo possível deles, enquanto a carne está fresca.

A atraente jovem que estudou arte na Universidade de Loughborough, disse que decidiu comer seus espécimes porque queria reciclar e minimizar o desperdício. "Para mim, é uma opção de vida", diz ela. "Fazendo o que eu faço, garanto reciclar um animal morto e como comedora de carne, não há lógica em desperdiçar carne perfeitamente comestível. É importante para mim, porque mantém todas as noções que sustentam a taxidermia e isso significa que eu faço justiça ao animal, reciclando tudo dele."



"Eu sou uma grande comedora de carne e eu acredito fortemente na idéia de reciclagem", diz ela. "Não faz sentido para mim, preservar o espécime para em seguida, jogar a carne fora. Se eu puder determinar que está fresca, eu não hesitaria em comê-la. Eu sou muito cuidadosa."

Kaie trabalha muito com animais como coelhos, esquilos, veados e aves como faisões e pombos-torcazes - todos estão em sua bancada de trabalho, assim como no seu cardápio. Ela é uma taxidermista brilhante. Suas obras são incrivelmente únicas e vão de pavões a enfeites de ratos até peças de moda à base de aves.

Infelizmente, o trabalho de Kaye é obscurecido por seus hábitos alimentares incomuns, que a maioria das pessoas acha perturbador. Ela se tornou alvo de xingamentos e ameaças online, com pessoas dizendo a ela: "Vá para o inferno" ou que eles irão "cortá-la". Kaye, porém, permanece irredutível a esses comentários.

"Eu costumava deixar que chegassem até a mim. Agora eu não permito que eles me afetem. Isso é como ser um artista. As pessoas são tão subjetivas.", Diz Kaye. "Eu tenho a sorte de ter uma densa rede de pessoas ao meu redor que apoiam o que eu faço, o que me ajudou a ter a confiança para me destacar no que faço e me esforçar. Tive ativistas de direitos animais, veganos, veterinários e amantes dos animais, tomando minhas aulas e todos eles foram muito elogiosos sobre os passos que tomamos para garantir que a preservação mais virtuosa e humana está sendo realizada ".



Kaie também aponta que ela é altamente ética e que ela nunca iria prejudicar um animal com a finalidade de seu trabalho. "Eu tenho muitas conexões com os agricultores e avicultores de todo o país que controlam pragas e animais em suas terras", explicou ela. "Eu não intervenho no modo em que esses animais são controlados, e sou simplesmente um veículo de eliminação alternativa para os seus proprietários e criadores."

Ela disse que também se orgulha de trabalhar com animais atropelados, ou animais que encontra mortos em áreas arborizadas onde ela mora. "Eu mantenho uma trilha de papel para registrar as propriedades de todos os animais que eu acho, e adquirir todas as licenças corretas quando for o caso."



A paixão de Elle Kaie pela taxidermia provém de seu interesse em biologia, ciência e conservação animal. "Isso me permite experimentar o fascínio da biologia animal, ao mesmo tempo que me fornece a oportunidade de preservar animais para estudo educacional. Dar aos animais uma nova vida é um imenso privilégio para mim."

Fonte Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário