segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Jadav Payeng, O Homem que Criou uma Reserva Natural do Nada Sozinho

Praticamente, fazer floresta de um deserto...A Índia desfruta de um bosque incomum que conseguiu florescer no banco de areia de um rio. Mas o que agora assombra aos botânicos, é o trabalho diário da única pessoa que dedicou sua vida a esta tarefa.

Em 1979, Jadav Payeng, um jovem habitante local de 17 anos da cidade de Jorhat, índia, encontrou dezenas de répteis mortos no banco de areia do rio Brahmaputra pela falta de sombra. Para o garoto, a experiência foi muito impactante. Ele advertiu aos serviços oficiais sobre o assunto, que lhe aconselharam a tratar de plantar bambu e lhe ajudaram dando as mudas, segundo informa o site da web Índia Mid-Day.

Em 1980 foi lançado um projeto governamental de plantação de árvores em uma superfície de 800.000 metros quadrados em uma área próxima. Payeng participou na tarefa como operário, mas depois do cumprimento das obras, decidiu ficar ali e seguir plantando e cuidando das árvores.

35 anos depois, a cruzada pessoal de Jadav Payeng, agora com 50 anos de idade, resultou em um enorme bosque quase duas vezes maior que o Central Park de Manhattan (EUA) que na realidade não deveria crescer em um chão tão arenoso. O bosque é chamado de Molai Forest, o segundo nome de Payeng.

Não só seu bosque mudou a paisagem local, criando um lugar de sombra para os animais e para as pessoas, mas também freou o desaparecimento da ilha - que ia diminuindo devido ao fluxo d'água na areia - e criou uma verdadeira reserva natural que abriga tigres, rinocerontes, elefantes, outros animais grandes e pequenos, e várias espécies de pássaros.

O feito insólito de Jadav Payeng, contado em vários documentários, assombrou ao mundo e é um exemplo de como a humanidade pode criar vida em vez de destruir, inspirando a muitos ativistas ambientais em todo o mundo a seguir com sua paixão.

Payeng quer continuar seu esforço no crescimento das árvores, e continuar com essa missão única. Seu próximo desafio no entanto, é ajudar a salvar os urubus que estão quase extintos, e ajudá-los a se mudarem para o bosque Molai . "Abutres desempenham um papel vital na cadeia alimentar."

"Os abutres limpam o ambiente, mas estão quase extintos na Índia. Muitos morrem depois de se alimentarem de vacas mortas, que são tratadas com o medicamento anti-inflamatório diclofenaco. Embora o Governo Central tenha proibido a aplicação desse medicamento em animais, ainda está sendo usado."

Payeng acrescenta com uma pontinha de esperança: " Há alguns abutres no bosque Molai; Espero que sobrevivam lá. "


Fonte

Um comentário:

  1. Esse cara é foda. Deu até vontade de criar uma floresta própria.

    ResponderExcluir