quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Curionautas Doodles #61

* Essa postagem trás os Doodles, que são as mini-postagens com curiosidades que publicamos na na nossa página no Facebook




Por que voam os telhados quando passa um furacão?

Em essência, é o mesmo que sucede quando sopramos pela ponta de um fole. Se sopramos, veremos como se eleva.

Isto é devido ao denominado princípio de Bernoulli, em honra ao físico suíço Daniel Bernoulli, que anunciou pela primeira vez em 1738. Assim, quando um elemento, seja um líquido ou um gás, se move a grande velocidade, a pressão diminui. Isto provoca uma diferença de pressão cujo efeito resultante é o aparecimento de uma força ascensional.

Algo semelhante acontece no caso do teto: como o ar que se desloca tem mais velocidade, a pressão que exerce sobre, é menor do que o ar que está no interior da casa. O efeito líquido é uma força que puxa a estrutura.

No entanto, pode acontecer que essa diferença de pressão não seja suficiente para fazê-lo voar. Nesse caso, o ar que entra na casa através das aberturas, equaliza as pressões e, em conseqüência, o teto desaba sobre a casa, provocando o seu colapso.




Por que você tem um rosto único?

Todos sabemos que os traços do rosto são, acima de outras caraterísticas pessoais como a maneira de andar ou a voz, a principal pista para identificar um semelhante. Outros animais, em contrapartida, guiam-se pelo cheiro e pelo som. Por isso os humanos desenvolveram o repertório gestual e físico no rosto, mais amplo da fauna terrestre.

Cientistas da Universidade da Califórnia em Berkeley, se propuseram a averiguar se esta variabilidade é verdadeiramente um resultado de nossa evolução como seres sociais que utilizam a visão para se reconhecerem. Os resultados foram publicados na revista Nature Communications.

Primeiro, os pesquisadores confirmaram que os traços do rosto são os mais variados. Para isso, se basearam em um banco de dados de medições corporais compilado pelo Exército dos Estados Unidos em 1988, com o fim de delinear equipes militares. Assim, comprovaram que caraterísticas como a distância entre os olhos ou a largura do nariz, mudam efetivamente mais de um sujeito a outro que, por exemplo, o tamanho das mãos. O triângulo formado pelos olhos, a boca e o nariz é a zona que apresenta mais variabilidade.

Além disso, as diferenças do rosto não estão relacionadas com outras partes de nossa fisionomia, como ocorre no resto do corpo: alguém com longos braços costuma ter também, por exemplo, as pernas longas.

Por último, e para completar o estudo, os especialistas pesquisaram no banco de dados do projeto 1000 Genoma, que sequenciou os genomas de mil pessoas desde 2008. E como haviam predito, descobriram que os genes relacionados com o aspecto facial apresentavam mais variabilidade que outros, como os que determinam a altura de um indivíduo. Isto indica que ter um rosto único e reconhecível é uma vantagem adaptativa, favorecida pela evolução.




Que sinais de trânsito são mais claros?

Os experts têm em conta dois valores: a visibilidade e a legibilidade.
Para pontuar este último parâmetro, estudam-se a fonte e o tamanho das letras, a separação entre elas, etc.
Uma regra de ouro é não pôr a informação em maiúsculas, já que reduz a velocidade de leitura um 12%.

Quanto às cores, é preferível o clássico preto sobre branco ou amarelo, embora o branco possa ser muito agressivo para a vista. Por isso, muitas vezes se opta por fundo azul ou verde e caracteres claros.
Costumam considerar os britânicos Jock Kinneir e Margaret Calvert como os pais da sinalização moderna nas estradas.

Eles criaram no final dos anos 50, o tipo de letra "Transport", utilizado em muitos sinais em rodovias do mundo.




De que altura se vê que a Terra é redonda?

Segundo cálculos matemáticos, desde uma altitude de 10.000 metros -mais ou menos a altura que voam os aviões comerciais-, veríamos o horizonte, ou seja, a superfície da Terra, com uma curvatura de 0,056º, a mesma que se contemplássemos um círculo de 10 metros de raio, desde 56 centímetros de distância. Isto é, a essa altura, e supondo que o céu esteja claro, mal apreciaríamos que o planeta é redondo.Para ver bem a curvatura terrestre seria preciso voar mais acima, acima dos 15.000 metros. A 20.000 já é claramente perceptível. É verdade que em algumas fotografias tomadas de bem menos altura, -aviões, paraquedas, parapentes ou em cumes montanhosos- o horizonte aparece curvo, mas isso se deve à distorção ou efeito barril das lentes das câmeras.

Outra forma de visualizar a curvatura terrestre são os eclipses lunares, já que esta fica escurecida por uma silhueta circular que corresponde à sombra da Terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário