domingo, 26 de outubro de 2014

Daisy Ad: O Impactante Anúncio de Televisão que Decidiu as Eleições de Johnson


"Daisy Ad" é um mítico anúncio de televisão que fez parte da história e que hoje em dia pode ser acessado por qualquer um no Youtube. O anúncio fez parte da campanha presidencial dos EUA de 3 de novembro de 1964, um momento político e social chave na história dos EUA, onde era preciso algo verdadeiramente impactante.

Graças a apenas um minuto, Lyndon B. Johnson ganhou as eleições com um contundente 61,1% dos votos.

Contexto histórico

John F. Kennedy acabava de ser assassinado em 22 novembro de 1963, momento em que o vice-presidente Lyndon B. Johnson o substituiu liderando o país durante um ano como presidente em exercício. Durante aqueles doze meses, foi preparada uma estratégica campanha política com a finalidade de assegurar sua vitória nas seguintes eleições, permitindo que o legado dos Kennedy e um governo democrata, fossem assentados na Casa Branca dirigindo as rédeas de um país que precisamente, não passava pelo seu melhor momento.

Fotograma do anúncio de TV

A sombra do assassinato do presidente pesava ainda sobre os EUA, e a isso era somada a crise dos mísseis de Cuba e aquela eterna tensão internacional que tecia os fios da Guerra Fria. Johnson não era precisamente um homem carismático, não tinha o magnetismo de Kennedy e as sondagens não o apontavam de modo algum como ganhador. Era o senador Barry Goldwater quem estava em vantagem, um republicano bastante radical que apostava antes de mais nada, em iniciar ações bélicas contra qualquer inimigo do país. Aquilo podia ser perigoso, muito perigoso.

O anúncio que mudou a história da TV e da política

Hoje em dia muitos especialistas e analistas afirmam que se não fosse pelo anúncio "Daisy Ad", Lyndon B. Johnson jamais ganharia as eleições presidenciais em 1964. Isso se deve a que a principal crítica que lhe lançavam, era a de que ele era muito mole face à sombra do comunismo e impassível demais também em frente aos problemas econômicos.

Johnson e os democratas, por sua vez, acusavam os republicanos de serem um risco para o país, de quererem iniciar uma guerra nuclear que levaria ao desastre não só aos EUA, mas todo o mundo. A campanha foi então, um contínuo lançamento de barro mútuo à respeito destas questões, enquanto que como pano de fundo, a crise dos mísseis e as discrepâncias com a Rússia não ajudavam Johnson.

Até que algo apareceu nas televisões de todos os americanos em 7 de setembro de 1964. Uma tacada genial por parte do próprio Lyndon B. Johnson com a qual, assinou sua vitória. Durante a emissão do filme "David and Bathsheba" (Rei George e o Patinho) no canal NBC, e quando mal faltavam dez minutos para às dez da noite, uma transmissão se irrompeu nas televisões americanas, mostrando um anúncio em horário de máxima audiência.

.
Estima-se que naquele momento haviam 40 milhões de pessoas assistindo aquele momento histórico. Crianças, adultos, idosos...Todos observando a uma doce criança de 4 anos que desfolhava uma margarita, enquanto contava (a sua maneira) do um a dez. Uma imagem enternecedora que imediatamente captava a atenção.

Segundos depois, se ouvia uma contagem regressiva que terminava, com um cogumelo nuclear de uma temível explosão atômica, enquanto a voz em off de Lyndon B. Johnson dizia o seguinte:

"Estas são as opções: Fazer um mundo em que todos os filhos de Deus possam viver, ou ir à escuridão. Devemos nos amar uns aos outros ou devemos morrer."

Depois de um passagem de tela preta, era solicitado o voto a Johnson nas eleições de 3 de novembro.

Simples assim. Depois da emissão do anúncio milhares de reclamações foram recebidas, as pessoas estavam horrorizadas, cheias de pavor ante o que acabavam de ver. Tanto que as centrais telefônicas da NBC entraram em colapso. Ninguém falou de outra coisa nos dois longos meses até o fim da campanha e o rastro dessa imagem durou o suficiente para que o pânico fizesse seu efeito.

E assim foi que o anúncio "Daisy Ad", permitiu a Lyndon B. Johnson se alçar como presidente dos EUA, graças a uma vitória absoluta...E graças a um só minuto de um autêntico e brilhante pânico bem orquestrado na televisão.

Fonte Fonte 

Nenhum comentário:

Postar um comentário