quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Hit and Run e o Hospital para Animais Exóticos de Nova Iorque

Para Linda Kuo, um hospital veterinário parecia ser o lugar perfeito para explorar a forma como os animais existem em um mundo dominado por seres humanos. 

Ela havia acabado de ter o acesso negado a outros dois projetos quando se deparou com o Centro Aviário e de Medicina Exotica Online, que se apresenta como o único hospital veterinário exclusivo para aves e animais exóticos em Nova Iorque, EUA. A equipe foi imediatamente receptiva quando ela pediu para ir lá fotografar, e deu-lhe permissão para fotografar sempre, ao longo de um período de seis meses no ano passado.

De acordo com Linda Kuo, o hospital trata qualquer animal que não seja um gato ou um cão. Isso inclui as espécies conhecidas, como coelhos e porquinhos da índia, assim como os animais incomuns, como os esquilos voadores e papagaios africanos. Visualmente, Kuo disse, que é interessante ver como os animais aparentam estar em um espaço clínico tão distante de seus ambientes naturais.

Kuo cresceu com animais de estimação e sempre amou os animais, mas fotografá-los só se tornou um apaixonado projeto quando ela se mudou para Manhattan a partir de Pound Ridge, Nova Iorque, há alguns anos e ficou estarrecida ao ver os animais mortos atropelados nas estradas todos os dias enquanto conduzia.

Isso evoluiu para sua série fotográfica chamada de "Hit and Run" ("Bate e corre"), com a qual ela espera chamar a atenção para a destruição dos habitats e a extinção.

Kuo se considera uma defensora dos animais, mas seus motivos para fotografá-los, são mais pessoais do que políticos.
"Eu era muito maltratada (bullying) quando eu era criança", disse Kuo. "Agora, quando eu vejo alguém maltratando ou quando vejo coisas que não têm voz e que estão comprometidas, é um gatilho para mim", disse ela.

Mas, enquanto as fotos de Kuo são, por vezes dolorosas de se ver, ela disse que seu objetivo não é chocar as pessoas para mudar a forma como elas consideram o modo como os animais são tratados.
"Todo o meu trabalho vem de um ponto de reverência positivo para a minha matéria, não sensacionalismo", disse ela.

Na verdade, Kuo disse, que ela estava realmente impressionada pela forma como a equipe do Centro lida com os animais sob seus cuidados.

"Eu acho que eles fazem o máximo de sua capacidade, dadas as circunstâncias em que se encontram os animais para tratamento. O que realmente me impressiona, é que eles não se acostumaram com o sofrimento", disse ela. "Se eles perdem um paciente, eles ainda ficam devastados. Eles ficam chateados. É esmagador para eles."

A maioria das pessoas, no entanto, não são tão afetadas pelo sofrimento dos animais em um mundo que está cada vez mais inóspito para eles. Kuo disse que é por isso que ela fotografa: para ajudar a melhorar a conscientização e empatia com os outros habitantes terrestres.

"Quando você planta uma semente e as pessoas consideram outras coisas que não teriam considerado, as pessoas são transformadas e elas começam a olhar para as suas vidas de forma diferente. Eu acho que é um efeito dominó ", disse ela.












Belíssimo trabalho de todos os envolvidos e um exemplo de dedicação para com os mais fracos. Assim que peço encarecidamente aos leitores, que compartilhem esta postagem nas redes sociais para que mais pessoas possam saber disto e que todo este esforço não seja em vão.

Fonte Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário