quinta-feira, 16 de outubro de 2014

O Hotel Nazista de Rügen: 10 mil Quartos Abandonados

Estendendo-se por mais de três quilômetros ao longo da praia de areias brancas da ilha de Rügen, no Mar Báltico da Alemanha, fica o maior hotel do mundo, com 10 mil quartos, todos de frente para o mar. Mas desde que foi construído, há 70 anos, ninguém a procura de férias jamais se hospedou lá.

Este é o Hotel Prora, um enorme complexo construído entre 1936 e 1939 pelos nazistas como parte de sua "Força através da Alegria" do programa ("Kraft durch Freude", KDF). O objetivo era proporcionar atividades de lazer para os trabalhadores alemães e espalhar a propaganda nazista. Os habitantes locais o chamam de Colosso de Prora por causa de sua estrutura monumental.

O hotel Prora encontra-se em uma extensa baía entre as regiões Sassnitz e Binz, conhecida como Prorer Wiek em um estreito (Prora) que separa a lagoa de Großer Jasmunder Bodden do Mar Báltico. O complexo composto por oito edifícios idênticos que se estendem ao longo de 4,5 km a cerca de 150 metros da praia. A força de trabalho de 9000 trabalhadores levou três anos para concluir a obra a partir de 1936, e os nazistas tinham planos de longo prazo para os quatro balneários, todos com cinema, salões de festas, piscinas e um cais onde os navios de cruzeiro da "Força Através da Alegria" iriam atracar.

Os planos de Hitler para Prora eram ambiciosos. Ele queria um resort marítimo gigantesco, o "mais poderoso e grande que jamais existiu", contendo 20.000 camas. Todos os quartos foram planejados com vista para o mar, enquanto que os corredores e o saneamento estão localizados no lado contrário. Cada quarto de 5 por 2,5 metros era para ter duas camas, um armário e uma pia. Haviam banheiros e chuveiros comunitários e salões de baile em cada andar. No meio, um enorme edifício era para ser erguido, que poderia ser convertido em um hospital militar em caso de guerra.

A guerra de fato aconteceu, antes que o edifício pudesse ser preenchido e quando as prioridades de Hitler mudaram, ele transferiu os trabalhadores da construção civil para construírem a fábrica de armas (V-Waffen) em Peenemünde. Durante a campanha de bombardeios dos Aliados, muitas pessoas de Hamburgo se refugiaram em um dos blocos habitacionais e os refugiados posteriores do leste da Alemanha foram alojados lá.

Até o final da guerra, esses prédios abrigaram o pessoal auxiliar feminino da Luftwaffe (Força Aérea Alemã). Após a guerra, Prora foi usado como um posto militar para o exército da Alemanha Oriental. Após a reunificação alemã, em 1990, parte do que foi utilizado pela Escola Técnica Militar de Bundeswehr e, posteriormente, para abrigar os requerentes de exílio das Balcãs.

Hoje, todo o lugar está praticamente deserto, exceto por alguns blocos que foram reaproveitados para outros usos. Em 2011, um bloco foi convertido em uma pousada da juventude com 400 leitos e o plano agora é transformar Prora em uma estância de férias moderna, com 300 leitos, que incluirá quadras de tênis, piscina e um pequeno centro comercial.










Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário