segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O "Ônibus Magico Abandonado" de Christopher McCandless (Verdadeira História do Filme Na Natureza Selvagem)

McCandless foi um alpinista norte-americano de 24 anos que abandonou sua educação suburbana segura, doou US $ 24.000 (Aprox. 59 mil Reais) de economias para a caridade e se aventurou na imensidão do Alasca, em abril de 1992, com pouca comida e equipamento na esperança de simplesmente viver por um tempo na solidão.

Acima, Uma fotografia de Christopher McCandless recuperada de sua câmera.

Quase quatro meses depois, um grupo de caçadores de alces descobriu os restos de McCandless, morto por inanição dentro de um ônibus abandonado que lhe servira de abrigo durante os últimos dias de sua vida. Hoje, o ônibus 142 da cidade de Fairbanks, também conhecido como "Magic Bus", localizado ao lado do limite norte do Parque Nacional de Denali, no Alasca, é um local de peregrinação para centenas de turistas que seguem o rastro do idealista.

A placa em homenagem a Christopher McCandless no ônibus diz:

Chris, nosso amado filho e irmão, morreu aqui durante suas viagens de aventura em busca de como ele poderia melhor perceber o grande dom da vida de Deus . Com sua mensagem final, "Eu tive uma vida feliz e agradeço ao Senhor. Adeus e que Deus abençoe a todos", saudamos a sua alma ao mundo.

Christopher McCandless nasceu na Califórnia, e foi criado na Virgínia, em um subúrbio de Washington, Seu pai foi empregado como um especialista em antenas para a NASA, enquanto sua mãe trabalhava como secretária na Hughes Aircraft e mais tarde ajudou seu marido com sua bem sucedida empresa de consultoria baseada em casa.

Logo após a formatura, McCandless deu o dinheiro restante de seu fundo de educação para a caridade e silenciosamente saiu de casa para começar suas aventuras. Em abril de 1992, McCandless caminhou cerca de 20 quilômetros da Stampede Trail, uma trilha lamacenta localizada em Borough Denali, no Alasca, e depois de atravessar dois rios, encontrou um ônibus velho deixado lá na década de 60 por uma empresa de construção.

Ele começou a usar o ônibus como um abrigo de caça e começou a viver da terra. Seus suprimentos eram mínims - 4,5 kg de arroz, um rifle semi-automático Remington com 400 cartuchos de munição, alguns livros e alguns equipamentos de camping. Ele caçava porcos-espinhos, esquilos e aves, como Lagópodes e gansos do Canadá. Em um ponto, McCandless tentou voltar, mas se viu preso no lado errado do rio Teklanika que estava com o nível mais alto devido ao degelo de verão. Atravessá-lo, estava fora de cogitação.

McCandless viveu no ônibus um total de 113 dias. Quando foi encontrado, ele havia morrido de fome, pesando apenas 30 quilos. Alguns insistem em dizer que ele morreu de tanto comer plantas tóxicas que pouco conhecia. O que todos concordam é que a morte de McCandless foi evitável. Ele estava terrivelmente mal equipado e inexperiente demais para lidar com tudo que a natureza era capaz de jogar em cima dele, e muitos consideram suas ações estúpidas e sua trágica morte, equivalente ao suicídio. A história de McCandless tem levantado muitas questões e causou diversos debates sobre a segurança e do que não se deve fazer no estado selvagem.

Depois do filme de 2007 "Into the Wild", o "Magic Bus" - como McCandless o chamou em seu diário - se tornou uma grande atração atraindo centenas de turistas a cada ano. A estranha atração e fascínio por McCandless tornou-se um motivo de preocupação para as autoridades do parque, já que o caminho que conduz ao ônibus é cheio de perigos. No ano passado, uma dúzia de peregrinos precisaram ser resgatados por autoridades do parque e soldados do estado, e há alguns anos, um turista suíço se afogou no rio.

Pior ainda, alguns tentam seguir os seus passos acampando do lado do ônibus e privando-se de alimento. Uma rápida busca na Internet revela que muitos entusiastas consideram levar a viagem a sério, assim como McCandless fez. Fóruns e blogs da Web oferecem conselhos sobre como atravessar o rio Teklanika, muitos dos quais são perigosos.

Muitos acreditam que o ônibus deva ser removido porque é um "farol da estupidez", embora o veículo possa não existir mais até que as autoridades do parque entrem em ação. Nos últimos 20 anos, o ônibus foi lentamente despedaçado até o seu "esqueleto" por turistas tirando pedaços como souvenir. Alguém pegou o volante, há alguns anos, assim como o painel de instrumentos. Suas janelas se foram e o ônibus está mostrando sinais de que pode se desmanchar de ferrugem no esquecimento.

"Eu não acho que, com a condição atual do ônibus, e a quantidade de pessoas que vão lá e tiram um pedaço dele o veículo vá durar muito tempo", disse Kris Fister, porta-voz do Parque Nacional de Denali.




A história de Christopher McCandless deu origem ao filme, Na Natureza Selvagem (Into the Wild) uma produção de 2007, biográfica e de gênero drama, escrito e dirigido por Sean Penn.


Aqui deixo o link para o filme.

Fonte

5 comentários: