terça-feira, 7 de outubro de 2014

O Reluzente Mausoléu de Shah-e-Cheragh

Shah-e-Cheragh é um monumento funerário e mesquita localizado na cidade de Shiraz, no Irã, onde se encontra o túmulo de Amir Ahmad e seu irmão Mir Muhammad, filhos do sétimo Imam e os irmãos do Imam Reza. Amir Ahmad e Mir Muhammad foram caçados e mortos pelo califado neste local em 835 dC, durante a perseguição abássida da seita xiita.

Os túmulos dos irmãos, inicialmente apenas mausoléus simples, tornaram-se destinos de peregrinação famosos no século 14, quando a piedosa e amante da arte Rainha Tashi Khatun ergueu uma mesquita e uma escola teológica nas cercanias dos túmulos.

Após a realização de reparos essenciais, a rainha ordenou que o túmulo fosse coberto com milhões de peças de vidro colorido que na luz, refletem seu brilho mil vezes. Shah-e-Cheragh é uma das mais belas mesquitas e um importante centro de peregrinação da cidade de Shiraz.

A grande mesquita é ladeada por dois minaretes e dominada por uma cúpula que está localizada na ala oeste. Os altos beirais são suportados por colunas octogonais grossas ligadas por uma parede de mármore verde, esculpida inteiramente de madeira. A entrada é guardada por uma porta pesada, revestida com ouro e esmalte com um painel de vidro no centro. Os peregrinos beijam e acariciam a porta por onde entram.

No interior, a enorme cúpula acima do santuário é incrustada com centenas de milhares de pedaços de azulejos finamente trabalhados, e as paredes internas estão cobertas com pedaços de uma infinidade de vidros deslumbrantes misturados com telhas multi-coloridas -verde, amarelo, vermelho e azul- intercaladas com vidros de tons mais pálidos.

Janelas altas e grandes que descem ao chão, são em grande parte compostas de mosaicos de vidro colorido que se refletem nos mosaicos de espelhos. Embutidas nas paredes em todos os lugares estão versos do Alcorão escritos em papel de seda e emoldurados. O piso de mármore verde é coberto com tapetes iranianos vermelhos grossos e magníficos lustres de cristal pendem do teto acima.

No centro, sob a cúpula, encontra-se o túmulo de Syed Ahmad Mir. A lápide de mármore, coberta por uma estrutura larga e pintada com laca está rodeada por aberturas de vidro que mostram o interior. Os versos do Alcorão estão escritos em letras douradas sobre um fundo azul, e as flores estão embutidas ou esculpidas no metal. Em outro canto está o túmulo de Mir Muhammad, que tem a mesma aparência, mas muito menor do que o túmulo de seu irmão mais velho.

Os túmulos dos irmãos foram construídas no século 12 pelo ministro-chefe do monarca Atabeg Abu Said Zangi, que também construiu a câmara da tumba, a cúpula e uma varanda com colunas. A mesquita permaneceu assim durante cerca de 200 anos antes de mais trabalho ser iniciado pela rainha Tash Khatun durante os anos de 1344-1349 dC. Ela realizou reparos essenciais, construiu um edifício, uma sala de audiência, uma excelente universidade, e um túmulo para si mesma no lado sul. Ela também apresentou um Alcorão único de trinta volumes, escrito em caracteres dourados com decoração de ouro, que agora está preservado no Museu Pars.









Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário