quinta-feira, 9 de outubro de 2014

O Surreal Mundo do Google Earth por Clement Valla

O artista baseado no Brooklyn, EUA, Clement Valla, vasculha o Google Earth procurando anomalias. Não sendo visíveis imediatamente, mas apenas quando o ponto de visão está na posição correta, o programa mostra figuras lineares deformadas, como estradas e pontes como se estivessem derretendo sobre a paisagem. Não são falhas ou erros no algoritmo, mas são o resultado da lógica absoluta do sistema. É por isso que Valla é tão fascinado por essa anomalias.

Imagens em 3D, como as do Google Earth, são geradas através de um processo chamado de mapeamento de textura, onde a imagem plana via satélite da terra, é aplicada sobre o terreno em 3D, como um rótulo sobre uma lata ou uma garrafa de refrigerante. Na maioria das vezes isso passa despercebido, isso é até natural, mas às vezes os dois espaços são tão diferentes, que as coisas parecem estranhas, vertiginosas, ou simplesmente erradas.

O efeito visto nas imagens recolhidas por Clement Valla, ocorrem quando os algoritmos de junção do Google Earth, encontram fotografias aéreas com muita profundidade, ou com ângulos extremos, ou ainda, muitas sombras. A tentativa de envolver a imagem 2D sobre essas superfícies complicadas resultam nessas imagens surreais.

"Isso só acontece por ser uma espécie de condição limite", diz ele. "é por isso que eu gosto. O computador está fazendo exatamente o que deveria estar fazendo."

Quando Valla revisita anomalias que já havia descoberto, ele muitas vezes as encontra eliminadas e atualizadas com novas fotos aéreas que são "mais planas" - tomadas com menos ângulo ou com as sombras das pontes corrigidas. Devido ao que Google Earth está constantemente atualizando seus algoritmos e dados tridimensionais, cada momento específico só pode ser capturado como uma imagem estática.










Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário