quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Os Marimos dos Lagos Mývatn e Akan

As bolas de Musgo ou Marimo ("bolas de algas" em japonês), também conhecido por outros vários nomes, como bola de Cladophora e bola de lago, é uma espécie de alga verde filamentosa chamada Aegagropila linnaei que cresce em bolas verdes grandes com uma aparência aveludada. Essas esferas possuem tamanhos de 12 a 30 cm de diâmetro, dependendo de onde são encontradas.

Marimos são raros e são conhecidos por ocorrerem apenas na Islândia, na Escócia e no Japão, principalmente no Lago Akan no Japão e no Lago Mývatn, na Islândia. Recentemente, bolas de musgo apareceram em grande número na praia de Dee Why, em Sydney, na Austrália, sendo o primeiro registro da ocorrência dessa alga no hemisfério sul. (Confira essa notícia sobre as misteriosas bolas verdes em uma praia australiana aqui no curionautas.com.br)

Marimo no Lago Akan, Japão.
O Marimo não cresce em torno de um núcleo, como um seixo. Em vez disso, os filamentos de algas crescem em todas as direções a partir do centro da bola, ramificando de forma contínua e estabelecendo assim, as bases para a forma esférica. Surpreendentemente, a bola é totalmente verde, embora a luz só atinja uma superfície reduzida da esfera.

Marimo na praia de Dee Why, Austrália.
A clorofila dentro da bola permanece dormente no escuro, mas se torna ativa quando exposta à luz, caso a esfera seja rompida. Bolas de musgo são encontradas submersas no fundo do lago onde a ação das suaves ondas frequentemente atuam na manutenção de sua forma esférica, ao mesmo tempo, garantem que possam fazer a fotossíntese, não importando que lado está virado para cima.

No Japão, o Marimo é protegido e respeitado, sendo oficialmente patrimônio natural desde 1920. No Lago Akan, um grande esforço é feito para a conservação das bolas de musgo, que inclui três dias de festival anual ao Marimo. Pequenas esferas de algas enroladas à mão, são vendidas em lojas como lembranças. O Marimo também é uma atração em muitos aquários japoneses.

Tanques de Marimo na ilha de pesquisa de Marimo, no Lago Akan, Japão.
Enquanto isso, no lago  Mývatn, as bolas de musgo estão lentamente desaparecendo. Cerca de uma década atrás, os Marimos no Lago Mývatn chegavam a formar duas a três camadas no fundo do lago. Hoje, a maioria se foi. O desaparecimento é atribuído à poluição causada por operações de mineração na área, que começou na década de 1960.

Uma grande quantidade de fósforo e nitrogênio despejados no lago, têm aumentado drasticamente as bactérias que se alimentam desses nutrientes, abundando tão densamente que bloquearam a luz solar que chegava até o fundo onde se encontravam os Marimos. Com menos luz solar, as algas começaram a morrer, expondo mais sedimento solto no fundo do lago. O vento e as ondas que uma vez laminavam as bolas em sua forma, agitam o sedimento solto cobrindo o restante das algas, privando-as ainda mais da luz solar.
Ao marimo, foi concedido um estatuto de espécie protegida na Islândia em 2006, mas já era tarde demais.





Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário