terça-feira, 4 de novembro de 2014

Azerbaijão: Terra de Fogo


O Azerbaijão, localizado dentro da bacia do Mar Cáspio do Sul, está entre os produtores de petróleo mais antigos do mundo. A indústria do petróleo no Azerbaijão produz cerca de 800.000 barris de petróleo por dia e 1.000 milhões de metros cúbicos de gás por ano. Há tanta reserva de petróleo e gás natural sob a Península Absheron que o solo praticamente vaza por todos lados.

Por todo o Azerbaijão, numerosos fogos ardem desde a antiguidade e estes foram relatados por escritores históricos, como Marco Polo, no século 13 e mais tarde, pelo famoso escritor Alexandre Dumas, que descreveu templos de fogo zoroastristas construídos em torno de um fogo natural. Este fenômeno de fogo espontâneo causado por infiltração de gás, deram ao Azerbaijão o apelido de "Terra de Fogo". Isso também criou um culto de adoradores do fogo - os zoroastristas, que apareceram pela primeira vez nesta região há mais de 2.000 anos, antes do domínio islâmico entrar em vigor. Inúmeras referências ao fogo também podem ser encontradas no folclore e da cultura do Azerbaijão.

Há pelo menos três lugares onde se pode observar os incêndios famosos do Azerbaijão:

Yanar Dag 

Yanar Dag, o que se traduz literalmente como "montanha ardente", é um fogo de gás natural que arde continuamente em uma colina perto de Baku, capital do Azerbaijão. Jatos de chamas de 3 metros são expelidos no ar de uma fina e porosa camada de arenito. Em torno dessa chaminé, a atmosfera é preenchida com o cheiro de gás. O fogo que ocorre naturalmente, queima em chamas coloridas de forma mais impressionante ao anoitecer, quando os turistas e moradores podem avistar a partir das casas de chá próximas.


Ateshgah de Baku 

O Ateshgah de Baku, perto de Baku, fora do Grande Cáucaso, é outro famoso lugar de fogos eternos do Azerbaijão. Ateshgah significa "templo de fogo". Este complexo pentagonal, que tem um pátio cercado por celas de monges e um altar de quatro lados no meio, foi construído durante os séculos 17 e 18. O fogo já foi alimentado por um respiradouro de um campo de gás natural subterrâneo localizado diretamente abaixo do complexo, mas pesadas exploração das reservas de gás natural na área durante o domínio soviético, terminaram com o fluxo de gás natural para o templo e extinguiu o fogo santo em 1969.

O templo foi transformado em um museu, logo após as chamas se extinguirem. Hoje, o fogo que se pode ver aqui, é alimentado por gás canalizado da cidade de Baku.


Yanar Bulag 

Yanar Bulag ou a "primavera ardente" está localizado na cidade de Astara no sul do Azerbaijão e consiste de um cano de metal dentro de um pequeno pavilhão por onde a água vem borbulhando para fora. Não parece nada incomum, mas quando você acende um fósforo e toca na água, esta em si pega fogo. Isso ocorre devido ao alto conteúdo de metano na água.

Os moradores acreditam que a água da fonte tem propriedades medicinais e frequentemente tomam um gole enquanto a chama está acesa. Sempre há pessoas na "primavera ardente" que param para encher suas garrafas e levar em suas viagens.






Fonte

2 comentários:

  1. Que esse fogo se extenda á todo o azerbaijão queimando toda essa população de assassinos de cristãos.

    ResponderExcluir
  2. Que esse fogo se extenda á todo o azerbaijão queimando toda essa população de assassinos de cristãos.

    ResponderExcluir