quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Barman Encontra Brecha em Sistema Bancário e Obtém Milhões


Um barman caipira experimentou a vida de um milionário depois de ter descoberto uma "brecha" no sistema de caixas eletrônicos do seu banco.
Dan Saunders, de Wangaratta no nordeste de Victoria, Austrália, viveu uma vida da alta sociedade por cerca de quatro meses e meio em fevereiro de 2011, gastando descontroladamente com acompanhantes caras, jatos particulares, restaurantes exclusivos e jogos de azar.

O jogador de 29 anos de idade, tropeçou em uma falha técnica no sistema de ATM do Banco Nacional da Austrália, fazendo com que ele tivesse acesso a dinheiro à vontade, quando ou onde ele quisesse.
"Eu nunca me senti mais vivo do que quando eu estava carregando o meu cartão de crédito", disse Saunders.
"Com o cartão do Banco Nacional da Austrália, eu podia ser qualquer pessoa que eu quisesse ser, ir a qualquer lugar que eu quisesse ir, fazer qualquer coisa, desde que eu tivesse o cartão no bolso de trás. Me sentia como um rei." disse ele.


Em uma entrevista exclusiva ao Australia's Current Affair, ele divulgou como tudo se desenrolou em uma noite de cervejada com os companheiros e como ele entrou rapidamente em uma selvagem farra de gastos, com o dinheiro que não era dele.
Saunders havia acabado de se mudar para Wangaratta em Victoria, e uma noite de fevereiro de 2011, ele estava bebendo com os amigos.
Como a maioria das pessoas, ele precisava retirar dinheiro do caixa eletrônico, mas quando ele tentou, ele percebeu que só tinha US $ 3 (7 reais) em sua conta poupança, então o que ele fez foi transferir 200 dólares (504 reais) do seu cartão de crédito.
"Dizia que a transação havia sido cancelada, mas funcionou", disse ele.


200 dólares mais rico, Saunders contente voltou ao pub para continuar bebendo com seus amigos.
Mas não foi até mais tarde naquela noite que o barman, que ganhava apenas US $ 700 (1.767 reais) por semana, decidiu tentar a sua sorte novamente.
Ele tentou verificar o seu saldo em outro caixa eletrônico, mas era só registrar "saldo indisponível" para que ele novamente transferisse $ 200 e funcionou até que os saques chegassem a US $ 2000, o limite do seu cartão de crédito e foi para casa.
Como os ATMs são conhecidos por ficarem offline em determinados momentos, onde as pessoas podem transferir fundos, mas não conseguem um extrato da sua conta, o dinheiro que foi retirado não era registrado.
Ele não parou por aí e dentro de algumas semanas, Saunders havia transferido US $ 20.000 (50 mil reais).

Com suas novas riquezas, os boatos começaram a se formar em torno da pequena cidade e quando começou a apostar pesado com um companheiro de trabalho em uma noite no pub, a sua sorte virou.
"Acontece que nós jogamos mais do que o guia de operação iria virar em três semanas, em uma noite, assim que fui alertado para o fato de que nós havíamos chegado no limite", disse ele.
"Eu lhes disse que era um amigo fazendo as apostas, mas eles não quiseram levar isso em conta e eles contaram ao chefe do bar que me demitiu como resultado." 
Para piorar a situação, os boatos chegaram a sua namorada, sobre ele estar gastando dinheiro por toda a cidade, e ela então o abandonou através de mensagem de texto.


Mas, em vez de chafurdar nas suas perdas, ele decidiu voltar para Melbourne, obter alguns conselhos de amigos e manter seu saldo bancário saudável.
"Por um lado, você perdeu sua namorada, perdeu seu emprego, mas por outro lado, poxa, você tem fundos ilimitados. Vamos detonar um pouco, vamos resolver as coisas ", disse ele.
Enquanto ele acreditava que era um luxo que seria de curta duração, Saunders continuou retirando mais e mais dinheiro todos os dias e seu estilo de vida como um barman caipira, foi  transformado dramaticamente na de um milionário.
Ele criou muitas identidades diferentes "para os novos amigos", inclusive como a de um jogador de poker, um cirurgião e até mesmo um banqueiro, vivendo o sonho de um grande jogador.
Ele então, descobriu outra maneira de enganar o caixa eletrônico e dobrou o seu dinheiro, fazendo transferências de "crédito" da conta do caixa eletrônico ao seu Mastercard, mesmo que ele só tivesse um cartão de crédito.

Em maio daquele ano, acredita-se que Saunders já havia roubado 1,6 milhões dólares dos bancos com seu cartão de crédito. 
Mas, como qualquer um que está enganando o sistema, Saunders logo começou a se sentir culpado sobre suas aventuras e começou a ver um psicólogo. 
Foi em junho, quatro meses e meio depois de fazer a sua descoberta, que ele parou de fazer transferências contínuas. 




Ele disse que então chamou o banco, que por sua vez, disse a Saunders que ele estava sob investigação policial e que não iria falar com ele. 
"Nunca foi pelo dinheiro, mas apenas pela jornada." 
Três anos e meio depois e Saunders ainda tinha passe livre para negociar com o caixa eletrônico, ainda financiando o seu luxuoso estilo de vida com o dinheiro que não era dele. 
"Eu tenho as minhas próprias contas a descoberto, se isso faz de mim um bandido que me torne um bandido então", disse ele. 
Não foi até a semana passada que a polícia emitiu um mandado de prisão contra ele e continua observando Saunders, quem agora de repente, desapareceu da ação. 




Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário