terça-feira, 11 de novembro de 2014

Curionautas Doodles #84

* Essa postagem trás os Doodles, que são as mini-postagens com curiosidades que publicamos na na nossa página no Facebook




Por que o gelo não é transparente?

O gelo realmente não é transparente, mas sim, translúcido. Isto quer dizer que os fóton de luz não cruzam o material de forma direta, pois interagem e chocam com os átomos presentes no gelo.

Isto é assim porque a distância entre alguns átomos na estrutura molecular do gelo é da ordem da longitude de onda da luz que a atravessa, e por isso vê modificada sua trajetória. O caso é o mesmo que se chutássemos uma bola de futebol em um campo em que há vários postes distribuídos.

Se o espaço entre os postes é bem mais grande que o tamanho da bola, é muito fácil que esta atravesse o campo sem chocar com nenhum; mas quando a distância se reduz significativamente, aumenta a probabilidade de que a bola impacte em algum.

Por outro lado, devemos ter em conta que a água dos mananciais ou da torneira não é pura, já que contém partículas em suspensão e sais minerais em dissolução. Estas impurezas também interferem na passagem da luz, o que dá ao gelo um aspecto pouco diáfano. Se queremos conseguir que seja o mais transparente possível, é preciso usar usar água destilada.




Qual é o ruído mais insuportável?

Um estudo publicado na revista The Journal of Social, Evolutionary and Cultural Psychology afirma que o ouvido humano pode aguentar melhor o estrondo de um avião em voo rasante ou o ruído de um martelo pneumático que o choro de uma criança pequena.

Para comprová-lo, os autores do relatório, Rosemarie Sokol Chang e Nicholas Thompson, submeteram voluntários a uma série de provas matemáticas enquanto escutavam sons de diversas naturezas, como uma conversa entre adultos ou o estrondo de uma máquina.

Os balbucios, os gritos e sobretudo, os choros das crianças, faziam cometer mais erros aos participantes da investigação.

Os seres humanos são hipersensíveis a este tipo de expressão vocal, caraterizada por seu tom agudo. Parece claro que a evolução nos dotou de um gatilho psicológico para deixar o que estamos fazendo quando soa o sinal de alarme.

Em concreto, o choro dos infantes dentre dois e meio e quatro anos, é o ruído mais perturbador para os ouvintes, sejam homens ou mulheres, tendo filhos ou não. "Nossa espécie foi desenhada para que não só seja a mãe quem cuide das crianças; por isso todos respondemos ao seu pranto", aponta a psicóloga Sokol Chang.




Quantas emoções somos capazes de expressar com o rosto?

Segundo uma recente investigação da Universidade de Ohio (EUA) os seres humanos somos capazes de realizar até 21 emoções diferentes expressadas com o rosto.

Dentre as seis expressões básicas como são a felicidade, a surpresa, a ira, a tristeza, o medo ou o nojo, foram identificadas (graças ao Sistema de Codificação de Ação facial ou FACS) outras 15 expressões faciais compostas (por exemplo: felizmente surpreendido ou tristemente zangado) realizadas graças a uma combinação única de músculos.

O estudo, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), indica que as expressões faciais humanas podem refletir uma gama de emoções bem mais ampla do que se pensava. A primeira pessoa que propôs a lista das seis emoções básicas do homem foi Charles Darwin. No entanto, é hora de modernizar esta lista e acrescentar, ao menos, 21 categorias independentes de emoções.

Os resultados poderiam ser aplicados para conseguir robôs com mais expressividade no rosto ou para melhorar o entendimento de transtornos como a depressão, a síndrome de estresse pos-traumático, a ansiedade ou o autismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário