sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Curionautas Doodles #87

* Essa postagem trás os Doodles, que são as mini-postagens com curiosidades que publicamos na na nossa página no Facebook




Quem descobriu que as lagartas se transformam em borboletas mediante a metamorfose?

A primeira em observar de maneira metódica e descrever em um livro ilustrado intitulado "A lagarta, maravilhosa transformação e estranha alimentação floral" (1679) foi a naturalista e pioneira entomóloga alemã María Sibylla Merian.

"Quando me dei conta de que as borboletas e as mariposas se desenvolviam mais depressa que outras lagartas, recolhi todas as lagartas que pude encontrar, com o fim de observar sua metamorfose", escreveu a respeito de seu trabalho. "Assim, me retirei da sociedade humana e me dediquei exclusivamente a estas investigações. Além disso, aprendi a arte de desenhar para poder traçá-las e descrevê-las tal como são na natureza." Assim, em cinquenta chapas de cobre, ela desenhou o ciclo vital da cada inseto, passando do ovo à lagarta, e depois ao casulo e a borboleta.

Paralelamente à metamorfose, Merian descreveu também muitos outros detalhes da evolução e vida dos insetos, mostrando, por exemplo, que cada lagarta depende de um pequeno número de plantas para sua alimentação e que, portanto, os ovos eram postos próximos dessas plantas.

Em 1699, depois de cumprir 52 anos, partiu à colônia holandesa do Suriname para seguir pesquisando vermes e lagartas. Segundo suas próprias palavras, ali criou "a primeira classificação de todos os insetos com crisálida, as borboletas que voam de dia e as mariposas que voam de noite". E regressou carregada de espécimes e de ilustrações de lagartas, minhocas, besouros, abelhas, borboletas, moscas... Além de mostrar a reprodução e o desenvolvimento dos insetos, as ilustrações de Merian revelaram a Europa "plantas nunca descritas nem desenhadas anteriormente".




Qual é a ave mais pequena do mundo?

Trata-se do zunzuncito, de nome científico Mellisuga helenae, um colibri endêmico de Cuba também conhecido como pássaro mosca ou "elfo das abelhas". É o vertebrado de sangue quente mais pequeno do mundo, já que mede menos de cinco centímetros. Suas penas são de cores vivas, vermelho e azul metálico nos machos e verde azulado nas fêmeas. Emite pios e zumbidos muito variados.

Apesar de seu reduzido tamanho, bate as asas a um ritmo de até 200 vezes por segundo, o que lhe permite se manter no ar enquanto bica as flores para obter o néctar de que se alimenta.




Que animal tem um coração capaz de bater apenas 8 pulsações por minuto?

Trata-se do Myotis lucifugus, o morcego café, que vive nos Estados Unidos, Canadá e México. Este pequeno mamífero voador, de hábitos noturnos (lucifugus significa ''que foge da luz''), costuma viver próximo de rios ou lagos, e ninguém o supera como caçador de insetos, já que é capaz de capturar 1.200 mosquitos em uma hora em plena escuridão. Guia-se e caça por ecolocalização, o que implica que usa uma espécie de sonar natural e emite ultra-sons que rebatem e lhe permitem detectar objetos e potenciais presas ao seu redor. Normalmente produz estes ultra-sons umas 20 vezes a cada segundo, mas a velocidade dos impulsos chega a elevar-se a 200 por segundo quando ataca a presas voadoras.

O coração deste morcego também é muito sofisticado. Pode bater a um ritmo extraordinariamente lento, de apenas 8 pulsações por minuto, enquanto está hibernando (isto é, de outubro a abril). E embora o habitual é que enquanto permaneça acordado, seu batimento fica por volta de 100 pulsações por minuto, em ocasiões se acelera até alcançar nada menos que 1.300 pulsações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário