segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Físico Afirma que Alienígenas Aniquilaram Civilização Marciana com Bombas Nucleares


Segundo a estranha teoria de um físico dos EUA., uma antiga civilização marciana foi destruída com bombas nucleares por extraterrestres, no qual, ele adverte, poderiam também atacar o planeta Terra.

John E. Brandeburg, físico de plasma na companhia de tecnologias orbitais ("Orbital technologies"), vem sustentando desde 2011 que a cor vermelha de Marte se deve a uma explosão de origem termonuclear. "A superfície de Marte está coberta de substâncias radiativas como urânio, tório e potássio radiativo. Uma explosão nuclear poderia ter deixado resíduos em todo o planeta", disse ele ao apresentar a sua estranha teoria.

Desde 2011, o cientista aprofundou sua ideia, segundo a qual a explosão foi causada por uma raça extraterrestre inteligente.

A conclusão de seu último relatório sustenta que os isótopos nucleares da atmosfera de Marte se assemelham aos das provas de bombas de hidrogênio, o que, segundo sua teoria, demonstra que estamos ante "um exemplo de civilização destruída por um ataque nuclear vindo do espaço".

Sua investigação baseia-se na alta concentração de Xenon-129 na atmosfera marciana e pelo urânio e o tório encontrados na superfície pela nave espacial da NASA Odyssey.

De acordo com sua teoria, Marte contava com duas civilizações humanoides antigas. Segundo o físico, que inclusive revela seus nomes (Cydonians e Utopians) essas raças alienígenas tinham um nível de tecnologia similar à dos antigos egípcios.

Por sua vez, os cientistas assinalam que o aparecimento destes elementos em Marte não é surpreendente, já que são elementos naturais que se encontram em todas partes.

O físico sustenta que antes das explosões, Marte apresentava um clima similar ao da Terra com vida vegetal e animal. Esta versão, segundo afirma, leva a pensar que nós também deveríamos temer um ataque contra nosso próprio planeta, assim que deveria ser organizada uma missão tripulada a Marte para saber o que nos enfrentamos.

John E. Brandeburg terminou sua carreira na Universidade da Califórnia Davis, mas, segundo indica o portal de tecnologia Mother Board, "apostou sua reputação nesta teoria da destruição nuclear de Marte", que muitos consideram pseudociência.

Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário