terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Curionautas Doodles #101

* Essa postagem trás os Doodles, que são as mini-postagens com curiosidades que publicamos na na nossa página no Facebook




Onde está o complexo monumental mais antigo do mundo?

Em 1994, o arqueólogo alemão Klaus Schmidt descobriu em uma colina próxima à cidade de Sanliurfa, no sudeste de Turquia, um conjunto de construções megalíticas formadas por grandes pilares, alguns a mais de cinco metros de altura e quarenta toneladas de peso, situados em círculos dentre dez e trinta metros de diâmetro.

As escavações e inspeções por radar de penetração no solo, revelaram que no jazigo, conhecido como Göbekli Tepe - esta expressão poderia ser traduzido como: "colina umbigo" - , existem ao menos vinte dessas estruturas, que foram erigidas habilmente umas em cima de outras.

As mais antigas das que foram estudadas até a data, remontam 11.000 anos - isto é, seriam 6.000 anos mais antigas que Stonehenge, por exemplo -, quando a região estava supostamente habitada por povos caçadores e coletores.

Alguns dos grandes megálitos que integram Göbekli Tepe foram decorados com representações de animais. Não obstante, o achado de alguns relevos com figuras antropomorfas decapitadas, várias representações de mãos humanas e o que poderia ser interpretado como uma "Vênus pre-histórica" levou a Schmidt a propor que devia se tratar de um santuário, o mais antigo conhecido, e a propor que foi a religião e não a agricultura o fator decisivo para a passagem a um modo de vida sedentário.

O complexo foi deliberadamente enterrado no século VIII antes de Cristo por razões desconhecidas, o que contribuiu para a sua preservação.




Que eram e como surgiram os grêmios medievais?

Os grêmios consistiam em corporações de trabalhadores integradas por artesãos de um mesmo ofício cujo fim era defender seus interesses profissionais. Entre seus objetivos estavam conseguir um equilíbrio entre a demanda de obras e o número de escritórios ativos, garantir o trabalho aos seus sócios, melhorar seu bem-estar econômico e os sistemas e técnicas de aprendizagem do ofício. Ou seja, os grêmios foram um precedente dos colégios profissionalizantes e dos sindicatos modernos que agrupam indivíduos da mesma profissão.

A escala trabalhista do grêmio dividia-se em três níveis: aprendizes, adolescentes que se iniciavam no ofício entre os 12 e 14 anos, e permaneciam entre 4 e 8 nessa categoria; oficiais, o degrau intermediário; e mestres, classe à que alcançavam depois de superar um exame ou uma prova prática, e que permitia abrir um escritório próprio, contratar obras ou estabelecer sistemas de venda e comercialização.

Os primeiros de que se têm notícia surgiram no norte da França no século XII: tratava-se do grêmio dos padeiros de Pontoise, criado em 1162, e o dos curtidores de Ruán (1163), que foram legitimados pelas autoridades para exercer com exclusividade suas atividades. Pela mesma época foi criada a Hanse parisina, grêmio mercantil a que foi atribuído poderes autárquicos, monopolizou o comércio fluvial no Sena e percebia direitos sobre o tráfico de barcos na Normandia.

Ao longo da Baixa Idade Média, a prática gremial estendeu-se inclusive aos mendigos. Por exemplo, as associações de pordioseros de Basilea e Francfort não permitiam aos pobres vindos de outras cidades que permanecessem em suas ruas para pedir esmola, com a exceção de dois dias ao ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário