terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Curionautas Doodles #109

* Essa postagem trás os Doodles, que são as mini-postagens com curiosidades que publicamos na na nossa página no Facebook




Quem era a irmã de Hitler?

Paula Hitler era a irmã menor do ditador Hitler e a única que junto a ele chegou à maior idade dos cinco filhos da família Hilter.

A relação entre irmãos não foi muito fluída. Viam-se só uma vez ao ano e Hitler lhe sugeriu mudar seu sobrenome para Wolff quando deixou Munique e se mudou para à Áustria. Sempre viveu às custas do benefício mensal que lhe enviava seu irmão, inclusive em algumas ocasiões o envio era acompanhado com presentes como caramelos, bolachas ou presunto.

Paula nunca se interessou nos assuntos do partido, não teve relação com o movimento nazista, algo impulsionado por seu próprio irmão. Durante a guerra trabalhou de secretária em um hospital, e uma vez finalizado o conflito, foi detida durante bastante tempo pelo serviço de inteligência do exército norte-americano.

Já libertada, trabalhou em Viena em uma loja de arte, para mais tarde se transladar a Berchtesgaden. Não se casou e sempre viveu só até a sua morte em Hamburgo em 1960.




Existiu a estrela de Belém?

Segundo os evangelhos, uma estrela guiou os magos para o oriente até parar no local exato onde havia nascido a criança Jesus. Este misterioso astro que enfeita os presépios e árvores de milhares de lares durante o Natal é ainda desconhecido.

Embora não se sabe a ciência certa se a estrela existiu realmente, foram propostas diversas teorias a respeito de sua origem. Desde os que argumentam que esse ponto de luz brilhante não poderia ser outra coisa que uma nave tripulada por extraterrestres até os que falam de meteoritos e chuvas de estrelas cadentes.

Na astronomia foram buscadas diversas explicações racionais à origem da estrela de Belém. Embora habitualmente representam-na com forma de cometa, não se tem constância de nenhum astro desse tipo que brilhasse com força suficiente naquela época ao ponto de chamar tanto a atenção.

O pintor Giotto em seu quadro "A adoração dos Magos" de 1304, representou o cometa Halley como o astro guia dos Reis, certamente ainda impressionado pela visão do mesmo apenas três anos antes. Essa associação chegou até os nossos dias, embora os cientistas afirmam que o cometa foi visto no ano doze antes de Cristo, no qual, não seria possível que o Halley fosse a estrela.

O astrônomo Mark Kidger, do Instituto de Astrofísica das Ilhas Canárias, propõe que o que aconteceu na verdade foi uma soma de acontecimentos astronômicos sucessivos que alertariam os magos de que algo importante ia passar em Judeia. Tudo começaria com uma "conjunção tripla" de Júpiter e Saturno.

Em uma conjunção tripla, as órbitas dos dois planetas alinham-se de tal modo com a Terra, que estes parecem se aproximar e separar no céu, três vezes em uns sete meses. Posteriormente, no ano cinco antes de Cristo, uma nova brilhou no céu durante 70 dias e os magos, que já estariam avisados, partiriam guiados por ela.

Segundo esta teoria, o nascimento de Jesus teria que estar situado no período entre finais de março e começo de abril do ano cinco antes de Cristo. Kidger argumenta que a data de morte de Herodes está situada em torno do ano quatro antes de Cristo assim que sua explicação seria plausível.




Nenhum comentário:

Postar um comentário