segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

"Meu Marido me Converteu em uma Prostituta"


Um curta-metragem indiano, que se tornou viral nas redes, revela que em uma sociedade patriarcal como a do país asiático, a ebriedade ao volante pode ter consequências insuspeitáveis, como levar uma mulher à prostituição.

A cada ano os acidentes de trânsito que provocam os motoristas alcoolizados alcançam uma média de 134.000 mortos na Índia e constituem a causa principal de mortes em via pública no segundo país mais povoado do mundo.

Para propiciar uma mudança na sociedade e fazer refletir àqueles que ainda acham que podem tomar um gole antes de sentar ao volante, os produtores da plataforma editorial Mission Sharing Knowledge ("Missão compartilhar conhecimento"), com sede em Mumbai, Índia, decidiram lançar seu curta-metragem de concientização. E nos quatro dias decorridos desde sua publicação, o vídeo teve mais de 1 milhão de visualizações no Youtube.

.
A história que relata a protagonista em forma de monólogo é fictícia, mas é totalmente verossímil em uma sociedade patriarcal como a índia. "Meu Marido me Converteu em uma Prostituta", diz a mulher. Mas não me obrigou a isso diretamente. Simplesmente tomou álcool antes de pegar no volante, provocou um acidente e entrou em coma.

Ela diz que ter relações sexuais com homens que lhe paguem é a maneira mais rápida de ganhar dinheiro, embora poderia conseguir outro tipo de emprego: Ela faz para sustentar ela mesma, a sua família e ao seu marido, que a deixou sem sustento.


A mensagem muito simples do filme, provocou críticas nas redes sociais, principalmente sobre as viúvas de pressuposição que só podem ganhar a vida através da prostituição.
Dirigida por Pankaj Thakur, baseia-se em um breve recado pelo escritor indiano Joybrato Dutta.
"Não só você paga o preço. Não beba antes de dirigir", resumem os cineastas.

A mulher no vídeo ao princípio, parece estar se preparando para uma noite de festa.
Mas então, ela diz: "Há alguns meses eu julgava as prostitutas, obviamente nunca antes havia pensado que eu iria me converter em uma." 
"Agora minha percepção mudou. Me dá um novo nome de todos os dias, para não falar de um novo homem também." 


Do vídeo se deduz que o marido na história havia decidido voltar para casa bêbado após uma festa, em vez de pedir um táxi.
No conto, o marido fraturou a medula espinhal e é um milagre que tenha sobrevivido a uma colisão com um caminhão.
A mulher sem nome, acrescenta: "Estou certa de que este não é o futuro que ele havia planejado para mim, mas não me importo de vivê-lo." 

"Talvez eu morra todos os dias, mas estou certa de que meu marido vai viver um dia." 

O filme termina com a mensagem: "É a sua família que vai pagar o preço. Não beba e dirija.".

Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário