terça-feira, 6 de janeiro de 2015

A potencialmente Mortal Doença do Sono que se Alastra em uma Vila no Cazaquistão


Uma certa vila do Cazaquistão pode muito bem ser a mais "dorminhoca" cidadezinha do mundo. Desde 2013, o povo da vila de Kalachi é vítima de algum tipo de aflição que obriga-os a adormecer em momentos completamente aleatórios.

Esses ataques espontâneos de sono variam de duração entre umas duas horas a dias em alguns casos. Ainda mais estranho, é que ninguém tem uma explicação do porquê, e o governo do Cazaquistão não parece interessado em descobrir.

Desde agosto de 2014, 60 pessoas foram atingidas por essa maldição do sono. Isto é cerca de 10 por cento da população da vila de 680 habitantes. 

O único nome científico para a doença é "encefalopatia", que é apenas um termo geral usado para descrever algo que não é totalmente compreendido. 

Mais além dos ataques de sono, a doença também causou alucinações em algumas crianças. Elas dizem ter visto coisas como cavalos voando, assim como pessoas com oito olhos e troncos de elefante. 

Desde que o governo não conseguiu descobrir o que está acontecendo, os habitantes da cidade se voltaram para as teorias que variam de experimentação do governo a alienígenas. 

Alguns pensam que tem algo a ver com uma mina de urânio da era soviética abandonada nas proximidades. Nem de longe foram encontradas até agora, quaisquer ligações oficiais médicas.

Outros acreditam que muitos dos casos sejam uma reação comum ao estresse de viver em Kalachi. No entanto, os forasteiros que visitam famílias também tem contraído a doença misteriosa. 

Depois, há a teoria de que todo mundo esteja sofrendo de narcolepsia. Esta doença é tipicamente presente apenas em cerca de 0,03 por cento da população mundial. Então, quais são as chances de que todos os narcolépticos do mundo vivam em Kalachi? 

Após um ano e meio, ninguém sabe o que está acontecendo em Kalachi. Os habitantes da cidade continuam presos em um pesadelo do qual eles podem não acordar de um tempo muito longo.

.
.
Fonte

Um comentário: