terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Arquivos desclassificados do FBI afirmam que Hitler escapou à Argentina em 1945


Em 30 de abril de 1945, Adolf Hitler se suicidou junto de sua esposa em um bunker subterrâneo para evitar de ser capturado pelo Exército Vermelho. A princípios de maio, os soviéticos já haviam encontrado e identificado pelo menos alguns dos restos do cadáver do Führer... Ou ao menos isso é o que conta a versão oficial.

Acima, foto de Adolf Hitler e Eva Braun.

Os documentos desclassificados pelo FBI há poucos anos (2011) provam que o governo dos Estados Unidos sabia que, no final da Segunda Guerra Mundial, Adolf Hitler havia conseguido escapar da Alemanha e se encontrava são e salvo em algum local dos Andes. Foi especificado inclusive, que o meio utilizado foi um submarino que secretamente abriu caminho até à costa da Argentina, desembarcando ali, altos comandos do Terceiro Reich.

O informante misterioso 

No documento datado de agosto de 1945, se pode ler que o informante não identificado, quem afirma ser uma das quatro pessoas que recebeu a Hitler, fez um trato para trocar informação em troca de asilo político. Segundo o informante, dois submarinos haviam escapado e chegado ao sul da Argentina, Hitler e Eva Braun estavam no segundo.

Imagem da primeira página do documento do FBI (descarregável no final deste artigo).


Na segunda página do documento se pode ler: 
De acordo a (CENSURADO), ele foi um dos quatro homens que recebeu a HITLER e seus companheiros que aportaram em dois submarinos na Argentina aproximadamente duas semanas e meia após a queda de Berlim. (CENSURADO) alega que o primeiro submarino chegou à costa aproximadamente às 11.00 p.m. Depois de assegurarem um desembarque sem complicações, um doutor e vários homens foram os primeiros a pisar em terra.

Passadas duas horas, aportou um segundo submarino onde estavam HITLER, duas mulheres, outro doutor, e vários homens mais. Tomando em conta as duas chegadas, eram aproximadamente 50 pessoas. Seis oficiais argentinos de alta patente haviam preparado tudo, incluindo cavalos para o transporte por terra. Depois do carregamento das provisões, durante o dia foi empreendida a viagem para as montanhas do sul dos Andes. Ao anoitecer, o grupo chegou a um rancho onde, segundo (CENSURADO), HITLER e seus companheiros se ocultam na atualidade.

(CENSURADO) explicou especificamente que os submarinos chegaram na Península de Valdés, golfo de San Matías, no sul da Argentina; e que nas redondezas dessa zona existem vários locais onde alguns dos alemães eventualmente ficaram. (CENSURADO) ele nomeou as cidades como San Antonio (Oeste), Viedma, Neuquén, Muster, Carmen, e Rawson.
O governo argentino não só teria recebido o ditador alemão, além disso, teria ajudado ele a se esconder. O informante, cujo nome está censurado no documento do FBI por razões óbvias, oferece dados precisos que são suficientemente críveis ao ponto de serem considerados como fidedignos pelos agentes.

Apesar desta informação detalhada, suspeitosamente, os Estados Unidos não moveu um dedo sequer para seguir as pistas... Por quê?

Mais evidências 

Estes arquivos desclassificados do FBI não são a única evidência que apontam que Adolf Hitler e Eva Braun não morreram naquele mítico bunker. Em 1945, um diplomata Naval em Buenos Aires informou à Washington sobre à alta probabilidade da chegada do Führer à Argentina e haviam registros de avistamentos de um submarino U-530.

O U-530, comandado por Otto Wermuth, emergiu misteriosamente no porto de Mar del Plata depois de passar semanas deixando passageiros na costa mais ao sul.

Outros indícios vieram da mão de alguns jornais que falavam sobre a construção de uma mansão de estilo bávaro nos Andes. Posteriormente, o arquiteto Alejandro Bustillo escreveu a respeito do desenho e construção da nova casa de Hitler, a qual seria financiada por ricos imigrantes alemães.

As contraditórias provas de DNA

Uma das evidências mais contundentes que provam a sobrevivência de Hitler depois da Segunda Guerra Mundial, jaz na terra dos Czares. Recentes versões surgidas nos anos 1990 do lado russo, confirmam que os soviéticos, após uma infrutífera busca em que inclusive chegaram a especular com a possibilidade de que teria permanecido na Chancelaria um sósia de Hitler enquanto este escapava de Berlim, por fim deram com os restos mortais quase irreconhecíveis de Hitler, Braun e a família Goebbels.

Estes restos, no maior secretismo possível, foram transportados em caixas especiais à fronteira, a um quartel militar que depois passaria a ser território da República Democrática Alemã.

Estes restos permaneceram enterrados sob um jardim desse quartel na cidade de Magdeburgo e só algumas autoridades da NKVD (Comissariado do povo para assuntos internos da URSS) sabiam onde estavam, até que em 1970 foram exumados, o crânio de Hitler foi extraído e o resto foi incinerado para evitar que sua tumba fosse objeto de veneração.

Foi demonstrado que o suposto crânio de Hitler recuperado pelos soviéticos, era na verdade o crânio de uma mulher.


Uma parte indicada como sendo do crânio de Hitler, o osso parietal de sua caixa craniana, está em um Museu da Rússia. No entanto, em setembro de 2009, o arqueólogo Nick Bellantoni anunciou que, depois de uma análise de DNA praticada nos restos, foi determinado que o fragmento do crânio correspondia a uma mulher com a idade entre 20 e 40 anos...

Com toda a evidência surgida nos últimos anos, a possibilidade de que o Führer tenha escapado e desfrutado de uma vida aprazível na Argentina, é extremamente alta. Embora isso não seja o mais peculiar do assunto, mas sim, que que para tal aventura fosse realizada, contou com a cumplicidade de agências de inteligência a nível internacional que se encarregaram para que assim fosse.

.
Hitler escapou à Argentina - Documento do FBI
(7,8 MiB, 34) Descrição do arquivo: Documentos desclassificados pelo FBI há poucos anos (2011) provam que o governo dos Estados Unidos sabia que, no final da Segunda Guerra Mundial, Hitler havia conseguido escapar da Alemanha e se encontrava são e salvo em algum local dos Andes. Especifica-se inclusive que o meio utilizado fora um submarino que secretamente abriu caminho até a costa da Argentina, descarregando ali, oficiais nazistas de alta patente. Publicado em 24 de fevereiro de 2015.

Fonte Fonte Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário