domingo, 15 de fevereiro de 2015

Você Comeria Ante uma Web Cam para que Milhares de Pessoas Assistissem? Os Coreanos, Sim, e Ganham Dinheiro com Isso


Todas às noites na Coréia do Sul, vários jovens se sentam para jantar, em suas casas, a mesma quantidade de pratos que serviriam para saciar uma legião de famintos. Ligam suas câmeras e do outro lado, milhares de indivíduos esperam ver a comilança.

Esse show caseiro tem nome: "Mukbang", um termo que une as palavras "muk-ja" (comer) e "bang-song" (retransmitir). O fenômeno começou há mais de dois anos e continua sendo um dos passatempos favoritos de muitos coreanos na hora de jantar.

No site AfreecaTV  há centenas de canais pessoais e entre eles, vários são dedicados a essa exibição gastronômica. E com bastante sucesso. O que pode parecer um tanto estranho ante os olhos ocidentais, tem suas razões na sociedade coreana.

Uma das estrelas mais conhecidas do "Mukbang", A "The Diva", explica em uma entrevista à CNN que há vários motivos por trás desse passatempo. Na Coréia, cada vez mais vivem pessoas sozinhas e todas às noites, também jantam sós. A comida é um ato social na Coréia e por isso, não é tão estranho que se alguém esteja jantando só em casa, procure um acompanhante na internet. Estar conectado é o habitual. A Coréia do Sul é o país do mundo com a maior penetração de internet.

.
Dizem também que muitas pessoas em dieta, principalmente mulheres, acalmam suas ânsias de comer vendo a outros indivíduos se fartando. Inclusive muitos acessam de hospitais para levar sua mente para bem longe dos pratos entediantes que as enfermeiras servem.

Mas o "mukbang", além disso, é um negócio e um novo ofício em uma nova sociedade hiper-conectada. Os mais populares ganham um bom salário com sua gula. "The Diva" revelou à CNN que ganhava aproximadamente 9.000 dólares (aprox. 20 mil reais) por mês.


A transmissão dos jantares é aberta e gratuita, mas os espetadores desses canais podem fazer donativos. Dos seus computadores podem dar "star balloons" ao autor do vídeo e esses reconhecimentos se converterão depois em dinheiro que é pago pela AfreecaTV.

Dessa quantidade, "The Diva" emprega 3.000 dólares (aprox. 8 mil reais) para comprar comida para os seus seguintes shows. Algumas vezes ela cozinha os pratos e outras, compra-os. As marcas, como sempre, se tornam atração e são inseridas em algumas dessas emissões em forma de patrocínio.

.
A BBC esteve recentemente com um deles e mostrou à transmissão de uma noite. Essas performances duram várias horas. Do momento em que o exibicionista gastronômico apresenta a bóia, até duas ou três horas depois de ficar com os olhos estalados de tanto comer. A conversa entre o comensal e os que assistem é realizada através de um chat room privado, que além de manterem a conversa após a janta, demonstram ao espectador que após comer tanto, não vão vomitar os quilos de comida ingeridos. Muitos deles presumem que seus estômagos são de aço e que seu metabolismo é animal.

Neste "ofício", ser mulher e ser jovem pode supor um "tchã" a mais de popularidade. Mas há profissionais do "mukbang" de todos os perfis. O jovem Lee Chang-hyun disse à BBC que isto não é apenas um negócio. Também é um grande entretenimento. "Eu saio com frequência com meus espectadores. E de certo modo, é um compromisso, um pacto que tenho com eles. Passo muito bem com eles e por isso não considero isso um trabalho".

.

.

.
Fonte Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário