segunda-feira, 30 de março de 2015

Encontram Relíquia que Conteria as Cinzas do Túmulo do Apóstolo João

Escavações arqueológicas levadas a cabo nas redondezas de um porto e de uma fortaleza medieval na Bulgária, desenterraram numerosos artefatos interessantes, entre eles um frasco de chumbo que conteria as cinzas da tumba do Apóstolo João.

Mede apenas 2.2 cm de comprimento e tem um diâmetro de 1.7 cm. O site Arqueology in Bulgaria reporta que diversos artefatos foram descobertos durante escavações de várias edificações em ruínas localizadas dentro da ancestral fortaleza de Rusocastro, e no porto de Burgos (Poros), nas imediações do que hoje é a cidade de Burgas.

O objeto "santo" encontrava-se dentro de um relicário que foi desenterrado nos domínios de uma basílica do século VI d.C., e atribuído a São João, um dos doze apóstolos de Jesus segundo a crença cristã.
Frasco de chumbo supostamente contendo as cinzas da tumba do santo. 
A peça está decorada com cruzes gregas (crux immsisa quadrata), formadas por quatro braços de igual medida que se sobrepõe em ângulo reto. A partir desse tipo de cruzes derivaram as seguintes formas na Idade Média com propósitos heráldicos.

"Descrito como 'a santa posse que preserva a santa substância', a relíquia teria outrora propriedades curativas", disse Milen Nikolov, Diretor do Museu Regional de História em Burgas, durante uma conferência de imprensa efetuada nesta semana para apresentar o achado. "Todo o 8 de maio, a data da morte do Apóstolo João, há maná, um santo pó curativo, sobre o sítio de sua tumba", explicou em referência a uma antiga crença que explicaria a razão da existência da relíquia.

Milen Nikolov mostra imagens da relíquia durante uma conferência de imprensa realizada em
25 de março de 2015. 
De acordo a fontes históricas, na data da morte do santo, os peregrinos cristãos se congregavam em sua tumba localizada na cidade grega de Éfeso (Turquia), um importante centro religioso, cultural e comercial da antiguidade. Ali deixavam pétalas de rosas com a esperança de receber o maná curativo. Muitos daqueles peregrinos pegavam cinzas da tumba para levar a suas aldeias como um souvenir que ao mesmo tempo seria um poderoso talismã, protegendo o portador de todo mau.

Como as decorações do frasco coincidem com aquelas de Éfeso, os pesquisadores pensam que pode ter se originado ali e depois ter sido transportado à Bulgária através de peregrinações.

Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário