segunda-feira, 1 de junho de 2015

Nunca É Tarde Demais - A Gangue de Vovôs do Grafite de Portugal

Lata 65 é uma oficina de arte urbana altamente incomum em Lisboa, Portugal, que ensina idosas as noções básicas de arte de rua. Embora o grafite seja geralmente entendido como uma parte da cultura jovem, a oficina introduziu a forma de arte peculiar a mais de 100 idosos em torno da cidade, dando aos grupos a oportunidade de se reunirem com proeminentes artistas de rua e, literalmente, pintar a cidade de vermelho. Elas trazem cor e charme aos bairros negligenciados, fazendo seus próprios padrões e criando suas próprias marcas de rua.

Lara Seixo Rodrigues, arquiteta e fundadora do Lata 65, disse que seu objetivo é passar a arte de rua aos idosos, como uma ferramenta para contrabalançar o fosso entre gerações. É também uma maneira de falar contra o preconceito de idade e estereótipos discriminatórios. Ela acredita firmemente que "a idade é apenas um número", e espera demonstrar que a arte urbana tem o "poder de incentivar, promover e reforçar a democratização do acesso à arte contemporânea."

Lara, que também fundou o "Wool", um festival de arte urbana, revelou que a idéia de Lata 65 surgiu quando ela conheceu um fã do festival durante o café. Eles falaram sobre a contribuição dos idosos à arte, e também sobre a arte de rua, e finalmente conseguiu unir os dois assuntos.

Ela projetou o workshop de dois dias na forma de módulos, o primeiro dos quais, ensina aos participantes sobre a teoria e história da arte do grafite. Mais tarde, cada participante começa a criar a sua própria "tag" ou nome de rua, e escolher o tema que gostaria de trabalhar. No seguinte módulo, eles são ensinados a desenhar e cortar moldes que serão utilizados para criar a peça final. O último módulo tem participantes experimentando com tinta spray em locais ao ar livre.

Lara recomenda que os participantes estendam a estadia na oficina para três dias, porque "permite um trabalho mais rítmico, uma maior compreensão, e resultados mais efetivos." Ela diz que a parte inicial da oficina é gasta principalmente no aprofundamento de idéias e respondendo perguntas sobre o que as pessoas vêem na rua todos os dias. Este é um passo importante, segundo ela, para destruir os preconceitos associados com a arte de rua. A parte final do workshop é voltado para os aspectos práticos da forma da arte.

Lata 65 destinava-se a ser uma oficina de uma única vez, mas a criatividade e o potencial de seus alunos deu a Lara um "imenso prazer." e ela decidiu realizar mais workshops, para compartilhar sua paixão pela arte urbana com grupos de idosos.

Fonte Fonte Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário