terça-feira, 22 de setembro de 2015

A Solução Anti-Catástrofes? - Criam Uma Cápsula à Prova de Terremotos No México


Reynaldo Vela Coreño, engenheiro mexicano, desenhou uma cápsula que poderia proteger às pessoas ante os desmoronamento causados por terremotos de grande magnitude, cuja bateria e alimentos em seu interior, poderiam durar até um mês.

"No México, as estruturas não dissipam a energia (não são resistentes a terremotos). Um terremoto muito forte pode resultar em um colapso total. Assim, trabalhei na ideia do projeto: O que aconteceria se tivéssemos um dispositivo, uma cápsula que preservasse a vida de quem a utilizasse durante um terremoto? A cápsula evitaria que o teto caísse por cima de você, electrocutasse ou intoxicasse", afirma Reynaldo Vela Coreño, autor do projeto.

K 107.
A cápsula denominada K 107, de tamanho similar ao de um refrigerador, tem forma de ovo e está composta por diferentes materiais incluindo liga de pó de titânio com aço.

A K 107 está conectada ao alerta sísmico e possui o seu próprio alerta de reserva, ambos são ativados ao iniciar um terremoto e informa à pessoa que entra na mesma sobre a magnitude e a duração do tremor.

Também, a cápsula dispõe de um tanque de oxigênio, sistemas de água de consumo humano, iluminação e de localização GPS. Sobre o alimento dentro da K 107, Coreño explicou:

"...dentro da cápsula tem alimento para um mês. No México temos um alimento que a NASA já utiliza com os astronautas: o amaranto, que possui grande conteúdo em proteínas, vitaminas, minerais, é ultraleve e o resíduo que gera é mínimo em comparação com outros alimentos".

A cápsula K 107 pode proteger às pessoas não só ante um terremoto, mas também ante uma inundação e incêndios, já que pode flutuar e é hermética. Segundo Vela Coreño, o K 107, cujo custo é de ao redor de 1.320 dólares (5.252 reais aproximadamente), pode ser utilizada "no setor industrial, centrais elétricas, refinarias ou lugares onde é necessário resguardar os operadores que estão em constante perigo".

Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário