segunda-feira, 25 de abril de 2016

O Último Bote Salva-vidas do Titanic

Três cadáveres foram descobertos no bote salva-vidas a cerca de 320 quilômetros do local do naufrágio pelo navio britânico Oceanic que passava por aquele local em 13 de maio de 1912.

A pequena embarcação foi mais tarde identificada como sendo o bote A, o último barco salva-vidas disponível no Titanic.

Uma das imagens do resgate.


O barco nunca chegou a ser lançado do transatlântico depois que este colidiu contra um icebergue, começando a afundar na noite de 14 de Abril de 1912.

No fundo do bote, foi encontrado um anel de casamento.
O bote se libertou por si só quando o Titanic afundou completamente, onde cerca de 30 pessoas que estavam congelando na água subiram na pequena embarcação em uma tentativa desesperada por sobreviver.

A maioria das pessoas sucumbiu à exposição ao frio e morreu, 12 pessoas foram resgatadas por outro barco salva-vidas antes deste bote se afastar.

O corpo de Thomson Beattie foi encontrado no barco ainda com seu traje de gala.
Acredita-se que os três corpos em decomposição, eram de dois caldeireiros da sala de máquinas e de um passageiro de primeira classe chamado Thomson Beattie com 37 anos na época, que ainda estava vestido com o seu traje de jantar.

Depois de avistá-lo, o capitão do Oceanic manobrou o navio em direção ao bote que estava à deriva no mar. A tripulação e os passageiros observavam a embarcação com binóculos e ficou claro que haviam corpos ainda a bordo.

Relato escrito.
Uma testemunha ocular escreveu que os corpos estavam irreconhecíveis. Não se sabe quem foi o passageiro do Oceanic que fez a descrição afirmando:

"Atravessei o Atlântico um mês após a catástrofe do Titanic. Pegamos um dos botes salva-vidas com três corpos irreconhecíveis de um passageiro vestido de gala e dois caldeireiros. Os corpos foram cobertos e houve a leitura de uma oração. O barco salva-vidas abandonado foi transportado para nossa plataforma."

Além da descrição escrita, há três fotografias em preto e branco que mostram o processo de recuperação do bote. Uma imagem mostra seis tripulantes em um barco salva-vidas do Oceanic no Atlântico, enquanto a segunda mostra um pequeno barco a remos indo em direção ao objeto distante na água.

Titanic.

Um anel de casamento com a inscrição "Edward para Gerda" também foi encontrado no barco, pertencente a Gerda Lindell, que morreu ao tentar alcançar o seu marido Edward no bote salva-vidas. Edward morreu pela exposição ao frio, segurando o anel da sua esposa e o seu corpo foi jogado ao mar para manter o barco estável.

Edward e Gerda Lindell.
Após ser conhecido o relato escrito, este foi colocado para leilão na casa de leilões Henry Aldridge and Son por cerca 4.000,00€ (Aprox. 16 mil reais).

Abrax

Fonte

2 comentários:

  1. Nossa muito comovente esses relatos do Titanic, esse navio deixou um rastro de destruição, tragédia e trauma que nunca será esquecido em todo o mundo. Até quando o homem vai aprender que não se desafia a lei divina e a lei da natureza, e que não se pode confiar em uma matéria feita pelo homem e que por arrogância custou a vida de milhares de pessoas.

    ResponderExcluir
  2. Titanic sempre surpreendendo! Quem diria que houve uma outra pequena tragédia dentro de uma imensa. Destino ou carma coletivo? Sempre penso nisso quando leio sobre essas tragédias humanas. Abraços.

    ResponderExcluir