sexta-feira, 15 de julho de 2016

Triste Paradoxo: Ter um Supercomputador e Não Poder Usá-lo


A máquina consome muita energia e só é ativada por 4 horas diárias. Sua implementação ajudará a desenvolver projetos cruciais de Biomedicina a engenharia de Petróleo.

Brasil conta com o primeiro supercomputador da América Latina. A máquina, capaz de realizar bilhões de operações por segundo, se encontra nas instalações do Laboratório Nacional de Computação Científica (LCNN). O '"pequeno" problema é que está operando com o mínimo de sua capacidade

A causa?

A poderosa máquina, que foi batizada com o nome de Santos Dumont em honra ao célebre aviador, só pode operar no mínimo de seu potencial devido ao alto consumo energético que demanda. De fato, a fatura por fornecimento elétrico para o seu funcionamento ronda os 150 mil dólares por mês.

O máximo responsável do LCNN, Augusto Gadelha, explicou o que sente a comunidade científica do seu país ao contar com semelhante ferramenta técnica e não poder aproveitá-la ao máximo de suas capacidades. "A sensação é realmente de frustração", comenta o cientista.

Santos Dumond é um dos computadores mais avançados do mundo.

Desenvolvido com a ajuda da França, o computador tem a capacidade técnica de processar 1,1 petaflops (petaflop é a unidade usada em supercomputadores, que representa a capacidade de realizar um quatrilhão de operações)

Um problema de números

As autoridades do LNCC pediram apoio financeiro ao Governo federal para poder manter em serviço o computador. Os recursos foram aprovados mas ainda não chegaram à instituição.

Em consequência, os responsáveis do centro optaram por colocar a máquina em modo de "repouso" e minimizar suas operações. A cifra solicitada para tudo o que resta de 2016 é de 1 milhão e 300 mil dólares.

"O que fizemos foi colocá-lo em "stand by" a maior parte do tempo para não desligá-lo", confessa Gadelha.

Fonte Fonte

2 comentários:

  1. Caraca, o Brasil gasta uma fortuna com salários e mordomias de nossos políticos, sem falar nos desvios, mas não tem grana para manter ligado um computador tão importante para as pesquisas? Isso é revoltante demais!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir