quarta-feira, 10 de agosto de 2016

O Que São Esses Círculos Vermelhos Que Alguns Atletas Têm No Corpo?


Essas manchas de cor vermelha escura que são vistas nos ombros e nas costas dos atletas olímpicos, não são queimaduras de cigarro, muito menos chupões "apaixonados".

Os espectadores que assistem aos Jogos Olímpicos podem ter visto os "hematomas" redondos e vermelhos nos atletas e certamente se perguntaram: O que diabos é aquilo?

Alguns atletas olímpicos se tornaram adeptos da ventosaterapia, um tratamento antigo que em sua maioria, foi utilizada no Oriente Médio e nos países asiáticos, especialmente na China.

Ventosaterapia.
Consiste de ventosas de vidro (ou de bambu) redondas onde passam rapidamente uma chama, (ou sucção mecânica) criando um vácuo e imediatamente, "colam" nas partes doloridas do corpo. A colocação da ventosa mantém um vácuo parcial, em que acreditam poder estimular os músculos e o fluxo sanguíneo, enquanto alivia a dor.

Michael Phelps, o ginasta norte-americano Alex Naddour e o nadador da Bielorrússia, Pavel Sankovich, publicaram fotografias de suas costas e extremidades cheias desses círculos vermelhos.

Pavel Sankovich

Sankovich escreveu há algum tempo em sua conta no Instagram que: "Ventosaterapia, uma grande ferramenta de recuperação", com uma foto de suas coxas cobertas de ventosas. A ex-nadadora olímpica Natalie Coughlin também publicou suas fotos passando por uma terapia de ventosas.

Phelps mostrou fragmentos de sua terapia em seu Instagram, assim como em seu comercial da Under Armour.

.
Não é a primeira vez que se fala da ventosaterapia. Celebridades como Jennifer Aniston, Gwyneth Paltrow e Jessica Simpson, foram vistas com as marcas circulares em anos anteriores.

Uma terapia antiga

O uso de ventosas é
praticado na China,
no Oriente Médio
e outros países.
A prática é mencionada em textos gregos e egípcios antigos.

Na medicina tradicional chinesa, as ventosas remontam, pelo menos, há 2.000 anos, segundo uma análise de 2012 publicada na revista PLoS ONE.

Acredita-se que seu objetivo é restaurar o fluxo do "qi" (chi), "a força da vida".

Nos últimos anos, a terapia foi utilizada por pessoas que sofrem todo tipo de doenças incluindo a herpes zóster, a paralisia facial, tosse, dificuldade para respirar e acnes.

Mas as ventosas são mais comummente usadas para tratar a dor, de acordo com a análise.

Um pequeno estudo sobre ventosas encontrou que as marcas geralmente desaparecem após dois ou quatro dias.


O que diz a ciência?

Em estudos anteriores, a ventosaterapia foi utilizada para o tratamento da dor do câncer e dor da parte inferior da costas. Em dois ensaios clínicos aleatórios, os grupos que receberam a terapia reportaram efeitos mais favoráveis no alívio da dor.

Mas esse exemplo vem de apenas dois ensaios com experimentos de pequeno tamanho, no qual, os pesquisadores escreveram em 2011 que é difícil "tirar conclusões firmes", baseadas em dados tão limitados.

A maioria dos estudos publicados, no entanto, são centrados na ventosaterapia úmida, que é uma forma de sangria medicinal. Nesse processo, a pele é cortada e o sangue é reunido na ventosa de vidro por sucção.

Até agora, o efeito a longo prazo da terapia de ventosas é desconhecido, mas basicamente, acredita-se que não seja perigoso.

Fonte Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário