quinta-feira, 20 de abril de 2017

Paleotocas - Túneis Cavados por Preguiças Gigantes

Em todo o norte da América do Sul, existem centenas de túneis colossais, grandes o bastante para que seres humanos possam atravessá-los.

Mas acontece que não foram cavados por homens, nem foram formados por qualquer processo geológico conhecido.
Os seus criadores deixaram evidências pelas paredes e tetos: marcas de garras gigantes.

Os geólogos chamam esses túneis de "Paleotoca", e acredita-se que tenham sido cavados por uma espécie extinta de preguiça gigante.

Entrada de uma paleotoca na região de Porto Alegre/RS

O termo foi cunhado por Heinrich Frank, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que encontrou uma dessas tocas em um canteiro de obras na cidade de Novo Hamburgo, no início dos anos 2000.

Até então, pouco ou nada se sabia ou havia escritos sobre esses túneis na literatura científica. Mas desde que descobriu o primeiro, Heinrich Frank e outros pesquisadores descobriram mais de 1.500 túneis, apenas no Rio Grande do Sul.

Algumas dessas tocas medem centenas de metros de comprimento e se ramificam em várias direções.

A maior media 609 metros de comprimento, seis metros de altura e três a cinco metros de largura. Estima-se que 4.000 toneladas métricas de terra e rocha foram cavados em uma encosta para criar a toca. Era evidentemente que o trabalho não era de um ou dois indivíduos, mas de várias gerações.

Marcas de garra nas laterais da toca. 
Frank acredita que as tocas foram cavadas por um gênero de preguiça terrestre gigante, tão grande quanto os elefantes modernos, que uma vez viveram na América do Sul até cerca de 10 mil anos atrás. Tais preguiças, foram alguns dos maiores mamíferos terrestres na Terra excedido em tamanho apenas pelo mamute. Outros acreditam que tatus extintos, que eram menores do que as preguiças gigantes, foram responsáveis ​​pelas tocas.

Marca de garras.

Independentemente de quem cavou, o tamanho das tocas é algo que Frank e seus colegas ainda estão tentando explicar.

Dentro da primeira paleotoca descoberta na Amazônia. 
Entrada de uma paleotoca.
As paleotocas também têm uma estranha distribuição geográfica. Elas foram encontradas apenas nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Muito poucas foram encontradas no norte do Brasil ou em outros países da América do Sul. Mesmo na América do Norte, onde as preguiças gigantescas terrestres e tatus gigantes uma vez viveram, nenhuma paleotoca foi encontrada.

Entrada de uma paleotoca na região de Porto Alegre/RS
Greg McDonald, um paleontólogo do Bureau of Land Management no entanto, acredita que é apenas uma questão de tempo antes de encontrá-las.

"O fato de que não temos tocas aqui, simplesmente poderia ser que nós esquecemos delas", diz ele.

As paleotocas não são túneis cavados pelo homem, nem cavernas. Na realidade são tocas de animais gigantes que compunham a megafauna, que viveu há aproximadamente 10 mil anos.

Existem ainda muitas perguntas sem resposta em torno das paleotocas e seus criadores. Quem as construiu? Por que foram construídas? Como foram construídas, e quando?

Megatherium americanum, a preguiça gigante.



Fonte Fonte Fonte Fonte Fonte

Um comentário:

  1. Daria para postar um mapa com a localização dessas paleotocas?

    ResponderExcluir