quarta-feira, 3 de maio de 2017

LÂMPADAS DE DESTRUIÇÃO DE GÁS DE ESGOTO DA INGLATERRA


Na Inglaterra vitoriana, o acúmulo de gás nos esgotos era frequentemente um problema para os moradores da cidade. 

Os esgotos nem sempre eram suficientes ou corretamente construídos resultando no acúmulo de gás metano, um elemento perigoso e altamente inflamável que eventualmente explodia. 

Para evitar a acumulação de gases estagnados, foram feitos orifícios nas tampas de esgoto e instalados tubos de ventilação independentes para permitir que os gases sujos escapassem sobre as cabeças dos pedestres e ao nível das casas ao redor.

Mas alguns desses esgotos problemáticos, estavam localizados em áreas onde as casas tinham vários andares tornando ineficazes os tubos de ventilação.


Na década de 1890, Joseph Edmund Webb de Birmingham, inventou e patenteou um dispositivo chamado "lâmpada de destruição de gás de esgoto" para lidar com o problema dos gases pútridos. 

Essas lâmpadas, ou lampiões, pareciam e se comportavam como bicos de gás comuns que antes eram característicos nas ruas de todo o Reino Unido e no resto da Europa.

A ideia de Webb era canalizar o gás metano para fora da rede de esgoto diretamente no queimador da lâmpada na parte superior, onde o gás poderia ser consumido pelas chamas. 

Webb esperava que as lâmpadas fossem abastecidas completamente por gás de esgoto, transformando efetivamente o que era um incômodo, em luzes de rua funcionais.


Só que no entanto, logo notaram que o sistema não funcionava conforme o esperado... Não havia suficiente metano para manter a chama acesa. O fogo morria rapidamente e a liberação de metano não queimados, criava um fedor nauseabundo na área. 

Webb rapidamente modificou o seu projeto para que as lâmpadas queimassem gás da cidade, como as lâmpadas de gás comuns já faziam. Só que ainda conectadas ao esgoto abaixo. 

O calor gerado pela chama criava uma corrente de ar que puxava os gases do esgoto através da coluna do poste, cuja chama de 370 graus centígrados, queimava o metano junto com o gás de cidade. 


Uma única lâmpada era capaz de ventilar cerca de 500 metros de esgoto. As lâmpadas de gás não apenas removiam o metano, mas também ajudavam a limpar o ar através da queima de micróbios perigosos.  

A "lâmpada de destruição de gás de esgoto" acabou por ser tão eficaz que foram instaladas por praticamente todas as vilas e cidades do Reino Unido, incluindo Londres, Sheffield, Winchester, Durham, Whitley Bay, Monkseaton, Blyth e Northumberland. 




As lâmpadas permaneciam acesas durante todo o tempo. A cidade de Sheffield, sendo uma área montanhosa estava mais propensa a bolsões de gás e por isso, tinha o maior número de lâmpadas destruidoras de gás de esgoto. 

Muitas desses postes com esse sistema de queimador ainda existem e alguns ainda estão em funcionamento.

O último poste restante de Londres, localizado em Carting Lane, foi derrubado por um caminhão há alguns anos e foi substituído por uma réplica. 

Ainda que seja uma imitação, a lâmpada de Carting Lane ganhou o apelido de "Farting Lane" (Algo como "Lane do peido").  As lâmpadas de esgoto se tornaram obsoletas com as mudanças dos encanamentos. Hoje, o gás de esgoto é ventilado para fora acima dos telhados, através do sistema de encanamento dos edifícios. 

Fonte Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário