terça-feira, 12 de dezembro de 2017

O "FIO DA VIDA": ESCULTURAS TÊXTEIS ANATÔMICAS



Nem todo mundo dissecou animais em aulas de biologia na escola, mas quem teve a oportunidade, de alguma forma, mudou para sempre.

Apesar de compreendermos a relevância, também sentimos empatia e compreendemos a dor alheia e por isso, existem propostas para substituir tais práticas.

Hoje em dia, mais que nunca, existem outras maneiras de descobrir como um sapo, um rato ou um camundongo funcionam. Tecnologia 3D é um exemplo disso.

Mas a artista Sabine Feliciano pode ter tido pensamentos e sentimentos semelhantes sobre as classes de dissecação e sem contar com sofisticados programas, mas sim, com apenas agulha e linha e uma ideia na cabeça, ela criou esculturas têxteis de animais dissecados com... Digamos... "belas tripas" exibidas para todos verem.

Feliciano transforma materiais, ou o que ela descreve como "fio de vida", em representações coloridas de animais anatomizados em crochê e costura.

Sua intenção é "transcrever uma sensação", causando uma resposta visceral no visualizador. Ela também adiciona pérolas e pedras as suas peças.

O resultado é uma mistura estranhamente perturbadora de brinquedo e estudo, e uma sensação tão muda quanto estranha que nos convida ao toque.

Feliciano tem exibido seu trabalho têxtil ou "o mundo dos têxteis selvagens" desde 2006. Graduada na Ecole d'Art Graphique e de Comunicação Visuelle, em Paris, Feliciano trabalhou como designer gráfica e como diretora artística da Publicis & Nous e da AirParisAgency antes de iniciar sua carreira como designer gráfica freelancer.



Ainda sobre alternativas à dissecação de animais em aulas de biologia, vale à pena dar uma conferida no projeto multiliteracies no vídeo abaixo:

..
.
Fonte Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário